Mercado abrirá em 4 h 36 min
  • BOVESPA

    106.927,79
    +1.397,79 (+1,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.744,92
    -185,48 (-0,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,43
    +0,61 (+0,73%)
     
  • OURO

    1.819,40
    +2,90 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    42.835,07
    -368,28 (-0,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.030,42
    +4,69 (+0,46%)
     
  • S&P500

    4.662,85
    +3,82 (+0,08%)
     
  • DOW JONES

    35.911,81
    -201,79 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.542,95
    -20,90 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    24.197,40
    -185,92 (-0,76%)
     
  • NIKKEI

    28.333,52
    +209,24 (+0,74%)
     
  • NASDAQ

    15.558,25
    -37,50 (-0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3130
    -0,0044 (-0,07%)
     

Arezzo anuncia compra da marca Carol Bassi por R$ 180 milhões

·2 min de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Arezzo&Co anunciou a compra da marca de luxo Carol Bassi por R$ 180 milhões. A aquisição marca a entrada da empresa calçadista no mercado de moda feminina.

A companhia é dona das marcas de calçados Schutz, Anacapri, Alexandre Birman, Fiever, Alme e Vans. Em outubro de 2020, uniu-se à marca de roupas masculinas Reserva. Agora, com a aquisição da grife feminina, firma-se como uma empresa do setor de vestuário, diz o presidente executivo Rony Meisler.

Segundo informações divulgadas pela empresa, a transação pode chegar ao valor de R$ 220 milhões, caso a marca atinja métricas de desempenho estabelecidas para 2022 e 2025.

A grife Carol Bassi foi criada em 2014 pela estilista paulistana Anna Carolina Bassi, herdeira da rede de moda feminina Guaraná Brasil. Possui loja no Shopping Cidade Jardim, em São Paulo, e no Village Mall, no Rio de Janeiro. Também está presente em 90 lojas multimarcas pelo país.

Segundo Meisler, a empresa planeja abrir outras 20 lojas físicas da marca, apesar da digitalização do varejo, impulsionada pela pandemia. Pelo menos duas inaugurações devem acontecer no próximo ano.

"As lojas físicas saíram mais fortes da pandemia porque descobriram sua vocação. O processo de compra hoje é híbrido [online e presencial] e a loja segue como protagonista nessa experiência. Mesmo que a venda não aconteça nela, passa por ela", diz.

As lojas da marca têm faturamento mensal de R$ 3,5 milhões, segundo a empresa. Cerca de metade das vendas são feitas por meio de 55 grupos de clientes em aplicativo de mensagem, que reúnem mais de 8.000 consumidoras.

A marca deve passar a fazer parte do ecommerce do grupo, mas manterá o canal de comunicação direta com as clientes através dos grupos. "A proximidade com a cliente é um diferencial", diz o Meisler.

A Arezzo divulgou ainda o plano de expansão da presença em pontos multimarcas e desenvolvimento de calçados e bolsas com a etiqueta Carol Bassi.

"A operação está inserida na estratégia da Arezzo&Co de ampliação de seus negócios no setor de moda e varejo, com diversificação de produtos e expansão de marcas em seu portfólio, reafirmando seu posicionamento de uma house of brands (casa de marcas)", divulgou a Arezzo no anúncio da compra.

"Com a Carol Bassi, a Arezzo entra em excelente companhia no segmento do vestuário feminino, fortalecendo sua presença no mercado de moda premium".

Segundo o executivo, o grupo deve continuar investindo em produtos para o público A e B, foco de todas as marcas do portfólio.

A Schutz, uma das marcas de calçados do grupo, também anunciou nesta terça (30) a entrada no setor de vestuário. Uma linha própria de peças será lançada para o público em março de 2022.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos