Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    55.128,81
    +843,41 (+1,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

ArcelorMittal anuncia R$ 4,6 bilhões em investimentos no Brasil

·3 min de leitura

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A siderúrgia ArcelorMittal anunciou nesta quinta-feira (11) investimentos de US$ 850 milhões (R$ 4,6 bilhões, pelo câmbio atual) para ampliar a capacidade de produção em suas operações brasileiras. Os recursos serão destinados a uma mina e uma unidade industrial em Minas Gerais.

Em nota, a Arcelor disse que "está confiante no cenário a médio e longo prazo do país". "Estamos otimistas com a demanda futura por parte das indústrias que trabalham com o nosso aço", afirmou Jefferson De Paula, presidente da ArcelorMittal Brasil.

Do total aprovado, US$ 350 milhões (R$ 1,9 bilhão) serão gastos na mina Serra Azul, em Itatiaiuçu, a 75 quilômetros de Belo Horizonte. A empresa construirá uma unidade de produção de pellet feed (minério super fino), ampliando a capacidade da mina de 1,6 para 4,5 milhões de toneladas por ano.

O objetivo é fornecer minério de alta qualidade para operações da ArcelorMittal no México, que também terão investimentos em expansão da capacidade. A previsão é que a nova unidade comece a produzir no segundo semestre de 2023.

Os outros US$ 500 milhões (R$ 2,7 bilhões) serão investidos na conclusão de uma nova linha de produção na usina de João Monlevade, a 115 quilômetros da capital mineira, com a construção de uma unidade de sinterização, um alto-forno e uma aciaria.

A expansão do projeto Monlevade estava suspensa pela crise no mercado interno brasileiro após a recessão de 2016, mas a companhia afirmou nesta quinta que perspectivas de recuperação justificam a retomada das obras já em 2021.

O objetivo do investimento é elevar em um milhão de toneladas por ano a capacidade de produção de aço na unidade, que já havia recebido uma nova unidade de laminação antes da suspensão do investimento. As operações devem começar no segundo semestre de 2024.

A expectativa da companhia é que as expansões gerem 1.350 postos de trabalho permanentes. Durante o pico das obras, diz, serão necessários cinco mil trabalhadores.

"O aporte reforça o comprometimento da ArcelorMittal com Minas Gerais, com o Brasil e com as comunidades que abrigam suas operações", afirmou.

O anúncio dos investimentos foi feito durante a divulgação do balanço da ArcelorMittal, que registrou lucro de US$ 4,6 bilhões (R$ 25 bilhões) no terceiro trimestre, o melhor resultado trimestral da siderúrgica desde 2008.

O desempenho foi impulsionado pela elevação nos prêmios pagos por aço, mesmo em um momento de queda em suas vendas. A receita da empresa no Brasil mais que dobrou, crescendo 122% em comparação com o terceiro trimestre de 2020.

No país, a ArcelorMittal produziu 3,1 milhões de toneladas, alta de 35,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os embarques cresceram 16,6%, para 2,8 milhões de toneladas.

O crescimento das vendas no país após a pandemia, diz a empresa, é atípico. Ainda assim, as perspectivas de longo prazo justificaram a decisão pelos investimentos, afirmou.

"A organização acredita no crescimento sustentável do Brasil e no aumento da demanda por aço, especialmente em setores-chave da economia brasileira, como construção civil, automotivo, máquinas e equipamentos, e por minério de ferro, tanto no mercado interno quanto para exportação para ambos os produtos."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos