Mercado abrirá em 8 h 56 min
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,35 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,07
    +0,43 (+0,60%)
     
  • OURO

    1.774,20
    +5,20 (+0,29%)
     
  • BTC-USD

    34.644,45
    -854,78 (-2,41%)
     
  • CMC Crypto 200

    859,07
    -80,88 (-8,60%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,32 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.388,58
    -412,69 (-1,43%)
     
  • NIKKEI

    27.880,39
    -1.083,69 (-3,74%)
     
  • NASDAQ

    13.998,00
    -37,00 (-0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0033
    -0,0328 (-0,54%)
     

Aramco mira emissão de títulos para financiar dividendos: Fontes

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Saudi Aramco se prepara para retornar ao mercado de capitais global com um título que ajudaria a financiar um compromisso de dividendos de US$ 75 bilhões, de acordo com pessoas com conhecimento do plano.

A maior empresa de energia do mundo escolheu cerca de 15 bancos para coordenar uma emissão de dívida islâmica, ou sukuk, que poderia ocorrer neste mês, segundo pessoas a par do assunto. A estatal pode buscar levantar cerca de US$ 5 bilhões, disse uma das pessoas.

A Aramco estuda emitir sukuk em dólares e em moeda local, disseram as fontes. Nenhuma decisão foi tomada e a empresa pode adiar a emissão se houver piora das condições do mercado. A Aramco não quis comentar.

Várias outras empresas estatais de energia no Golfo Pérsico também estudam emissões de eurobônus. A Qatar Petroleum pode emitir até US$ 10 bilhões nas próximas semanas, enquanto a Energy Development Oman busca levantar cerca de US$ 3 bilhões.

Lucros em alta

O lucro da Saudi Aramco disparou no primeiro trimestre na esteira da recuperação dos mercados globais de petróleo e gás, embora o fluxo de caixa livre ainda seja muito baixo para cobrir totalmente os dividendos no período, de US$ 18,75 bilhões. Quase todos os pagamentos da empresa são destinados ao governo saudita, que busca reduzir o déficit orçamentário depois que este subiu para 12% do PIB no ano passado.

O preço do petróleo, motor da economia da Arábia Saudita, dobrou desde outubro para mais de US$ 70 o barril, puxado pela vacinação em diversos países e reabertura de empresas. A alta também tem sido sustentada pela redução de exportações do cartel de produtores Opep+, que a Arábia Saudita lidera ao lado da Rússia.

Em resposta à queda das cotações do petróleo no início do ano passado, a Aramco cortou gastos, fez demissões e optou por vender ativos não essenciais. Um grupo liderado pelos EUA fechou um acordo em abril para comprar direitos de arrendamento sobre os oleodutos da Aramco por US$ 12,4 bilhões.

A empresa com sede em Dhahran e listada no mercado saudita acessou os mercados de dívida internacional pela última vez em novembro. A petroleira captou US$ 8 bilhões em títulos convencionais com vencimento entre três 50 anos.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos