Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.768,97
    -1.293,57 (-1,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.192,33
    +377,16 (+0,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,62
    +0,01 (+0,01%)
     
  • OURO

    1.754,40
    -40,40 (-2,25%)
     
  • BTC-USD

    47.500,48
    -562,13 (-1,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.221,26
    -12,03 (-0,98%)
     
  • S&P500

    4.473,90
    -6,80 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.751,12
    -63,27 (-0,18%)
     
  • FTSE

    7.027,48
    +10,99 (+0,16%)
     
  • HANG SENG

    24.667,85
    -365,36 (-1,46%)
     
  • NIKKEI

    30.323,34
    -188,37 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    15.524,50
    +20,50 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1955
    -0,0005 (-0,01%)
     

Arábia Saudita intercepta mísseis e drones houthis direcionados à região de petróleo

·1 minuto de leitura

DUBAI (Reuters) - A Arábia Saudita interceptou um míssil balístico e drones armados disparados contra sua região rica em petróleo pelo grupo Houthi do Iêmen no sábado, e duas crianças ficaram feridas pelo estilhaço resultante, disse o Ministério da Defesa.

O movimento Houthi, que está em guerra contra uma coalizão liderada por Riad no Iêmen desde 2015, assumiu a responsabilidade pelo ataque, dizendo que tinha como alvo as instalações da gigante petrolífera Saudi Aramco em Ras Tanura com oito drones armados e um míssil.

Os houthis também lançaram ataques a outras instalações de petróleo nas províncias de Jizan e Najran, no sul, disse Yahya Sarea, porta-voz das forças armadas do grupo.

A Saudi Aramco não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. Uma fonte familiarizada com o assunto disse que não houve impacto na infraestrutura da empresa e que o ataque ocorreu fora de suas instalações.

Um míssil foi interceptado em um subúrbio de Dammam, com estilhaços espalhados que feriram duas crianças e causaram danos menores a 14 casas, disse o ministério saudita. Outros mísseis e drones foram interceptados em Jizan e Najran, acrescentou.

A região saudita, que abriga uma importante infraestrutura de petróleo, foi alvo de ataques aéreos anteriores, incluindo um contra duas fábricas da Saudi Aramco em setembro de 2019, que paralisou temporariamente metade da produção de petróleo do país.

A coalizão militar liderada pelos sauditas interveio no Iêmen depois que os houthis, alinhados com o Irã, derrubaram o governo do presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi em 2014.

A guerra, que matou dezenas de milhares - a maioria civis - e desencadeou a pior crise humanitária do mundo, está paralisada há anos.

(Por Maher Chmaytelli e Saeed Azhar; reportagem adicional de Nayera Abdallah no Cairo; texto de Barrington e Aziz El Yaakoubi)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos