Mercado fechará em 6 h 24 min
  • BOVESPA

    124.696,11
    -979,22 (-0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.634,60
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,57
    -0,05 (-0,07%)
     
  • OURO

    1.829,40
    -6,40 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    38.786,43
    -1.161,42 (-2,91%)
     
  • CMC Crypto 200

    921,83
    -28,07 (-2,96%)
     
  • S&P500

    4.399,22
    -19,93 (-0,45%)
     
  • DOW JONES

    35.077,19
    -7,34 (-0,02%)
     
  • FTSE

    7.029,62
    -48,80 (-0,69%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.867,75
    -170,00 (-1,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0531
    +0,0126 (+0,21%)
     

Arábia Saudita e Emirados Árabes chegam a acordo sobre produção de petróleo, diz fonte

·1 minuto de leitura
Ilustração com logo da Opep e bomba de petróleo

DUBAI/LONDRES (Reuters) - A Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos chegaram a um acordo sobre a política de oferta de petróleo da Opep+, concedendo aos EAU um nível-base de produção mais alto e abrindo caminho para a extensão de um pacto sobre os cortes remanescentes de oferta do grupo até o final de 2022, disse uma fonte da Opep+ nesta quarta-feira.

Segundo a fonte, o patamar-base para os Emirados Árabes --nível a partir dos quais os cortes determinados pelo pacto da Opep+ são calculados-- será de 3,65 milhões de barris por dia (bpd) a partir de abril de 2022, data em que o acordo atual do grupo vai expirar.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), a Rússia e outros aliados, que formam o grupo conhecido como Opep+, ainda precisam tomar uma decisão final sobre a política de produção, após negociações realizadas neste mês terem sido abandonadas por causa da disputa entre sauditas e árabes.

Não ficou imediatamente claro se outros países também terão seus níveis-base ajustados.

A disputa entre Riad e Abu Dhabi veio a público após as negociações da Opep+, com ambos levantando preocupações sobre os detalhes de um acordo proposto na reunião do grupo, que teria adicionado 2 milhões de bpd extras ao mercado para acalmar os preços da commodity, que recentemente atingiram máximas de dois anos e meio.

Os países produtores disseram que vão definir uma nova data para a próxima reunião em momento oportuno.

A Opep+ fechou acordo no ano passado para cortes de oferta de quase 10 milhões de bpd, visando lidar com a queda de demanda induzida pela pandemia de Covid-19. As restrições têm sido flexibilizadas gradualmente, alcançando agora cerca de 5,8 milhões de bpd.

(Reportagem de Rania El Gamal)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos