Mercado fechado

Aprovação ao governo Bolsonaro desaba no Nordeste com fim do auxílio emergencial

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Bolsonaro no NE
Presidente Jair Bolsonaro em visita ao Nordeste (Foto: Alan Santos/ PR)

Com o fim do auxílio emergencial, a aprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro no Nordeste despencou nos últimos quatro meses e chegou a 29% - uma das taxas mais baixas registradas na região, mostra pesquisa PoderData realizada de 1º a 3 de fevereiro de 2021.

O índice indica trajetória de queda na percepção da administração federal, com queda de sete pontos percentuais desde o último levantamento. Já a desaprovação se manteve praticamente estável, em 59%.

Leia também:

A aprovação do presidente na região bateu recorde em setembro de 2020, quando chegou a 55%. Bolsonaro, na época, era desaprovado por apenas 33%.

O presidente aproveitou o momento e intensificou sua agenda de viagens ao Nordeste. De abril a agosto de 2020, inaugurou obras e visitou 33 cidades nordestinas.

A avaliação começou a cair quando o governo reduziu o auxílio emergencial de R$ 600 para R$ 300. Em fevereiro, o benefício acabou completamente.

A rejeição a Bolsonaro é maior na região, que concentra o maior número de beneficiários do auxílio.

Já a aprovação ao governo é maior no Sul, onde 61% aprovam e 34% desaprovam.

NACIONAL

Na avaliação nacional, 40% aprovam o governo e 48% desaprovam. Em relação ao último levantamento, há 15 dias, a taxa de aprovação caiu cinco pontos percentuais e se iguala com a registrada em julho, mês com mais mortes pelo coronavírus.

A desaprovação se manteve estável em 48%, uma das mais altas desde o início de junho.

Quando perguntados sobre o desempenho pessoal de Bolsonaro, a rejeição é de 41%, e a aprovação, de 33%. Ainda há 22% dos entrevistados que acham o presidente “regular”.

Foram realizadas 2.500 entrevistas em 519 municípios, em todas as unidades da Federação. A margem de erro é de dois pontos percentuais.