Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    62.102,25
    +2.634,88 (+4,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

Apps podem ajudar a detectar HIV em jovens

·3 minuto de leitura

Para o diagnóstico do HIV, o autoteste é um importante aliado, já que permite a identificação do vírus antes mesmo dos primeiros sintomas e eventuais complicações da doença. Nesse cenário, um estudo canadense e sul-africano observou que o uso de aplicativos para celulares pode acelerar a detecção do vírus da Aids, ainda de forma precoce, em pessoas mais jovens, a partir de experimento feito na África do Sul.

Publicado na revista científica BMJ Global Health, o estudo coordenado pela Universidade McGill comparou o do aplicativo com suporte para autoteste do HIV — batizado de HIVSmart! — com o teste convencional, para mensurar a efetividade da detecção e definir o posterior tratamento da condição. A conclusão sugere que estratégias de autoteste, quando conectadas com a tecnologia, podem acelerar os esforços para o controle da transmissão do vírus.

Pesquisa testa impacto positivo de aplicativos para o diagnóstico precoce da infecção pelo HIV em jovens (Imagem: Reprodução/Jcomp/Freepik)
Pesquisa testa impacto positivo de aplicativos para o diagnóstico precoce da infecção pelo HIV em jovens (Imagem: Reprodução/Jcomp/Freepik)

Vale lembrar que, para o fim da epidemia do HIV, a Unaids — programa das Nações Unidas — defende que o tratamento para a infecção deve estar disponível para todos, o que ainda não é realidade, mesmo após 40 anos da descoberta do agente infeccioso.

Além disso, foi estabelecida a meta 90-90-90 pela Unaids. Isso significa que a doença somente será controlada, em escala global, quando: 90% das pessoas que convivem com o vírus conhecerem o seu diagnóstico; 90% dos infectados estiverem em tratamento; e 90% das pessoas estiverem com supressão viral. Com o uso da medicação adequada e estabilidade da infecção, o paciente se torna indetectável e deixa de transmitir o vírus.

Importância de estimular autotestes para o HIV

Diante da desafiadora meta dos 90-90-90, a busca por novas tecnologias que estimulem o autoteste é fundamental. Segundo os autores do estudo, o autoteste de HIV via aplicativo pode acelerar a detecção de novas infecções, mas sozinho não resolverá a questão. É preciso que estejam disponíveis programas e logística apropriados, ou seja, os usuários devem estar conectados com os serviços para o tratamento, sempre de forma contínua.

“A OMS pediu evidências para o uso de suportes digitais e profissionais de saúde baseados na comunidade para melhorar os serviços associados ao autoteste de HIV”, explica Nitika Pant Pai, médico e um dos autores do estudo. “Nosso estudo mostra que um programa digital flexível, anônimo, seguro e baseado em aplicativo pode ser implantado, com sucesso, em populações jovens com experiência digital, mesmo em ambientes com poucos recursos”, complementa o pesquisador.

“O advento da covid-19 reduziu o acesso aos serviços de saúde. Combinado com o fato de que mais da metade das novas infecções por HIV, em muitos países africanos, ocorrem na população jovem, com experiência em tecnologia (faixa etária de 15 a 30 anos), isso significa que o autoteste de HIV com ferramentas de suporte digital preencherá necessidades não atendidas e melhorará as taxas de detecção”, aposta o pesquisador Keertan Dheda, da Universidade da Cidade do Cabo, caso a estratégia seja adotada na prática.

Para ler o estudo completo sobre o impacto de aplicativos de autoteste para o HIV, clique aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos