Mercado fechará em 1 h 50 min
  • BOVESPA

    114.003,07
    -1.664,71 (-1,44%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.155,89
    +4,51 (+0,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,35
    +0,13 (+0,21%)
     
  • OURO

    1.771,70
    -26,20 (-1,46%)
     
  • BTC-USD

    49.803,72
    +162,52 (+0,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    997,27
    +2,61 (+0,26%)
     
  • S&P500

    3.837,33
    -88,10 (-2,24%)
     
  • DOW JONES

    31.430,90
    -530,96 (-1,66%)
     
  • FTSE

    6.651,96
    -7,01 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    12.874,25
    -427,75 (-3,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7315
    +0,1610 (+2,45%)
     

Apple Watch 7 pode acabar com as picadas para medir o nível de açúcar no sangue

Rubens Eishima
·1 minuto de leitura

Após boatos de que o próximo Galaxy Watch incluirá um medidor de glicose para controle da diabetes, um site sul-coreano divulgou que o recurso estará disponível também no Apple Watch 7. A novidade simplifica a medição da glicemia, dispensando o uso das lancetas (agulhas) para furar o dedo e coletar o sangue para análise.

A Apple já registrou patentes relacionadas ao recurso em 2019 — em 2017, o próprio diretor executivo da empresa, Tim Cook, foi visto utilizando um aparelho apontado como um medidor de glicose.

Enquanto a patente da Apple utilizava o suor para identificar a taxa de açúcar no sangue, a tecnologia usada no rival da Samsung indica ser baseada na espectroscopia Raman, técnica empregada por pesquisadores da empresa sul-coreana em um artigo publicado há um ano, em parceria com o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

Apesar do interesse das empresas em tecnologias para aposentar de vez as picadas no dedo, a adoção do recurso em aparelhos eletrônicos provavelmente dependerá de um registro junto à Anvisa, assim como aconteceu com a liberação dos recursos de medição de pressão e eletrocardiograma.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: