Mercado fechará em 1 h 33 min

Apple volta a fechar suas lojas em mais sete estados dos EUA

Rui Maciel

O crescimento do número de casos diários de coronavírus nos EUA forçou a Apple fechar mais de 20 de suas lojas em sete estados daquele país, incluindo a Califórnia, onde fica a sede da empresa. Com isso, são 77 estabelecimentos da marca que têm suas atividades suspensas até aqui.

Além da Califórnia, as lojas fechadas atingem os estados do Alabama, Geórgia, Idaho, Louisiana, Nevada e Oklahoma. Anteriormente, Apple Stores na Flórida, Mississippi, Texas e Utah também precisaram interromper sua abertura ao púbico.

A Apple adotou uma abordagem cidade a cidade para abrir e fechar lojas, avaliando os dados da COVID-19 para cada comunidade. Nos locais onde as lojas permanecem abertas, a empresa exige coberturas faciais para funcionários e clientes, além de realizar verificações de temperatura e limpeza frequente. A análise do número de casos feito plea Apple significa que algumas lojas permanecem abertas, enquanto outras estão fechadas no mesmo estado.

Apple Store na Califórnia: estado natal da empresa também teve lojas da marca fechadas


Um bom exemplo disso está na própria Califórnia, terra natal da companhia. Muitas lojas da região de Los Angeles fecharão nesta quinta-feira, à medida que os casos de coronavírus da região aumentarem. Já a Apple Store no distrito comercial da Union Square, em São Francisco, permanece aberta. No Texas, as lojas na região de Austin permaneceram em atividade até esta semana, apesar dos fechamentos em Houston na semana passada.

A Apple fechou todas as suas lojas fora da China continental em março e nem todas as unidades americanas foram reabertas após o fechamento inicial. A empresa afirma que os funcionários que atuam no varejo físico continuarão a ser pagos mesmo que suas unidades tenham sido fechadas.

Casos de COVID-19 voltam a crescer nos EUA

Desde o final de junho, o número de casos de COVID-19 voltou a crescer nos Estados Unidos. Na última quarta-feira (1º) houve recorde de novos infectados desde o início da pandemia, com 52.898 novas contaminações de acordo com contagem da Universidade Johns Hopkins. Estados como Flórida e Texas (este último precisou voltar à quarentena), registraram números mais altos em um único dia. Isso ao mesmo tempo em que o país tenta retomar suas atividades econômicas.

Número de casos de COVID-19 volta a crescer nos EUA

De acordo com a base de dados do jornal The New York Times, o volume de novos casos indica que o surto da COVID-19 estaria mais forte do que nunca nos EUA. Até o momento, o país tem mais de 2,6 milhões de casos da doença, com 128.028 mortes.

Boa parte da região Sul, além do Oeste do país estariam concentrando o ressurgimento dos casos. A disparada ocorre no momento em que os Estados Unidos davam a impressão de ter controlado o surto, mais precisamente em maio. Isso levou diversos estados a afrouxarem as medidas de prevenção. No entanto, o COVID-19 parece crescer com mais força nas áreas rurais.

Fonte: Canaltech