Mercado fechará em 5 h 42 min
  • BOVESPA

    108.948,16
    +6,48 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -909,02 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,75
    -0,39 (-0,46%)
     
  • OURO

    1.840,70
    +8,90 (+0,49%)
     
  • BTC-USD

    33.561,07
    -2.217,45 (-6,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    762,62
    +519,94 (+214,25%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,03 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.386,89
    -107,24 (-1,43%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.254,75
    -171,75 (-1,19%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1962
    +0,0062 (+0,10%)
     

Apple vai permitir pagamentos no iOS por fora da App Store na Coreia do Sul

·3 min de leitura

A Apple será obrigada a aceitar que desenvolvedores usem sistema de pagamentos alternativos à App Store em aplicativos na Coreia do Sul. A novidade não virá de livre e espontânea vontade, mas, sim, de uma nova lei do país que torna obrigatória a flexibilização da rígida política da companhia.

De acordo com o The Korea Herald, a gigante de Cupertino já teria acordado com a Comissão de Comunicações da Coreia (KCC) os planos para apoiar os pagamentos de terceiros, desde que haja a incidência de taxas de serviços sobre o valor. Ainda não está claro de quanto seria, mas a Maçã promete cortes menores do que os 30% cobrados naturalmente na loja oficial.

Desenvolvedores de apps poderão usar formas de pagamento alternativas à App Store no iOS (Imagem: Sara Kurfeß/Unsplash)
Desenvolvedores de apps poderão usar formas de pagamento alternativas à App Store no iOS (Imagem: Sara Kurfeß/Unsplash)

Carinhosamente apelidada de "Lei Anti-Google", o normativo criado na Coreia do Sul exige que as lojas de apps, como a Play Store e App Store, permitam métodos de pagamentos de terceiros. Nem é preciso dizer que isso foi um golpe forte na arrecadação das duas companhias em um dos países com mais usuários ativos no mundo.

A legislação coreana estabelece multas se as Big Techs se recusarem a cumprir os termos. O Google foi a primeira a apresentar os planos iniciais para se adequar ao regramento em novembro de 2021, dois meses após o normativo começar a vigorar. Para a criadora do Android, a taxa de redução foi de 4% pelas transações que não usam o sistema de pagamento próprio.

Já a criadora do iOS ainda está em fase de adequação e, por meio de comunicado, disse estar ansiosa para trabalhar em parceria com a KCC para beneficiar os usuários coreanos. "A Apple tem muito respeito pelas leis da Coreia e um forte histórico de colaboração com os talentosos desenvolvedores de aplicativos do país. Nosso trabalho sempre será guiado por manter a App Store um local seguro e confiável para nossos usuários baixarem os aplicativos que adoram", declarou.

Entenda a polêmica taxa das lojas de apps

As duas maiores companhias de tecnologia do mundo precisaram enfrentar batalhas judiciais que contestam as taxas aplicadas sobre o valor arrecadados por desenvolvedores. A reclamação dos criadores de apps seria as elevadas comissões, que beiram os 30% do montante total arrecadado, o que obriga os criadores a elevar o preço dos produtos ou arcar com o prejuízo do faturamento reduzido.

O caso mais chamativo dessa confusão foi entre Apple e Epic, após a empresa usar um método próprio de pagamento para contornar a taxa da rival, o que fez com que o game Fortnite fosse banido da App Store — a empresa afirmou que manterá o jogo fora por até 5 anos, enquanto o processo permanecer sem resolução. A briga foi parar nos tribunais e as duas companhias tiveram vitórias e derrotas. Uma das vitórias da Epic obrigou a Apple a aceitar pagamentos fora da App Store nos EUA.

A Epic foi uma das primeiras grandes empresas a reclamar sobre a taxa aplicada pela Apple nas transações via App Store (Imagem: Reprodução/MSPowerUser)
A Epic foi uma das primeiras grandes empresas a reclamar sobre a taxa aplicada pela Apple nas transações via App Store (Imagem: Reprodução/MSPowerUser)

Tanto a Maçã quanto o Google justificam a necessidade de embutir taxas nas transações como forma de cobrir os gastos com a infraestrutura das lojas de apps. No caso da empresa criada por Steve Jobs, ainda haveriam os custos dos analistas que pesquisam por malwares nos apps e checam se todos os requisitos de segurança foram cumpridos.

Resta saber agora se a prática ficará restita apenas à Coreia do Sul ou se outros países vão se mobilizar para exigir que a Maçã flexibilize as políticas e renuncie a parte do seu faturamento em prol do desenvolvimento dos criadores de apps.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos