Mercado abrirá em 5 h 47 min
  • BOVESPA

    107.378,92
    +1.336,45 (+1,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.267,20
    +362,14 (+0,86%)
     
  • PETROLEO CRU

    43,61
    +0,55 (+1,28%)
     
  • OURO

    1.824,90
    -12,90 (-0,70%)
     
  • BTC-USD

    18.139,64
    -192,87 (-1,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    363,08
    +1,66 (+0,46%)
     
  • S&P500

    3.577,59
    +20,05 (+0,56%)
     
  • DOW JONES

    29.591,27
    +327,79 (+1,12%)
     
  • FTSE

    6.333,84
    -17,61 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    26.502,69
    +16,49 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    26.178,08
    +650,71 (+2,55%)
     
  • NASDAQ

    11.964,75
    +59,50 (+0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4481
    +0,0078 (+0,12%)
     

Apple tem 1 bilhão de iPhones ativos no mundo e pode bater recorde em 2021

Felipe Junqueira
·2 minuto de leitura

O mundo atingiu a marca de 1 bilhão de celulares da Apple ativos ao mesmo tempo em setembro de 2020, estima um analista. Isso significa quase um iPhone para cada oito pessoas no mundo. E o pico de vendas ainda está por vir, segundo Neil Cybart defende em um texto no seu blog Above Avalon.

Uma vez que Tim Cook anunciou, durante o lançamento do iPhone XS, que a marca de 2 bilhões de telefones da Maçã já havia sido atingida, podemos concluir que ao menos metade dos iPhone já produzidos estão inativos — e boa parte deles, destruídos, e esperamos que tenham virado material de reciclagem.

Apesar do anúncio de Cook na apresentação da geração 2018 do iPhone, a Apple parou de divulgar números oficiais de vendas do seu smartphone naquele ano. A justificativa da empresa seria que “Wall Street estava usando as unidades vendidas incorretamente como muleta para fazerem análises ruins”, segundo Cybart. Ainda assim, a própria fabricante teria anunciado a marca de 90 milhões de iPhone ativos no mundo em 2019.

Base de usuários do iPhone no mundo, em milhões de unidades (Imagem: Reprodução/Above Avalon)
Base de usuários do iPhone no mundo, em milhões de unidades (Imagem: Reprodução/Above Avalon)

Antes de prosseguir, é importante notar que o número de dispositivos produzidos e vendidos é diferente da quantidade de aparelhos ativos. O segundo número se refere a quantos iPhone ainda estão em uso ao redor do mundo. Por isso já havia mais de 2 bilhões de unidades vendidas um ano antes da marca de 900 milhões de dispositivos ativos.

Cybart calculou que, atualmente, cerca de 80% das vendas de iPhone no mundo são feitas para quem já tem um celular da Apple e resolveu fazer um upgrade, enquanto outros 20% seriam de usuários Android que resolveram dar uma chance ao iOS. A partir daí, ele concluiu que o primeiro bilhão de telefones da Maçã ativos simultaneamente no mundo teria sido atingido em setembro deste ano, 13 anos e dois meses após o início das vendas do primeiro iPhone.

Vendas recorde de 2015 podem ser superadas

Unidades de iPhone vendidas por trimestre; em vermelho, estimativa de Neil Cybart (Imagem: Reprodução/Above Avalon)
Unidades de iPhone vendidas por trimestre; em vermelho, estimativa de Neil Cybart (Imagem: Reprodução/Above Avalon)

O analista também acredita que as aproximadamente 231 milhões de unidades vendidas nos 12 meses do ano fiscal de 2015 não foram o pico da Apple. Segundo suas previsões, o ano fiscal de 2021 pode somar cerca de 4% mais vendas, ou seja, 240 milhões de novos iPhone vendidos no mundo.

“Minha estimativa não assume um mega ciclo de atualização devido ao iPhone 5G”, escreveu Cybart. Ele acredita que, a cada ano, a Apple ganha entre 20 milhões e 30 milhões de novos usuários, e o ciclo de atualização fica entre quatro e cinco anos. Assim, o total de vendas em 2021 pode ultrapassar 2015.

Considerando os bons números de vendas do iPhone 12 até o momento, é possível acreditar que o analista esteja certo. Mas só com o tempo poderemos ter uma resposta final a essa questão.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: