Mercado abrirá em 5 h 48 min
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,69 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,11 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    67,88
    +1,62 (+2,44%)
     
  • OURO

    1.783,50
    -0,40 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    48.777,55
    -635,48 (-1,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.254,15
    -187,61 (-13,01%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,72 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.479,22
    -287,47 (-1,21%)
     
  • NIKKEI

    27.941,31
    -88,26 (-0,31%)
     
  • NASDAQ

    15.755,75
    +38,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3783
    -0,0170 (-0,27%)
     

Apple reduz produção de iPad para alocar chips para iPhone 13, diz jornal Nikkei

·1 min de leitura

(Reuters) - A Apple reduziu a produção de tablets iPad para alocar mais componentes ao iPhone 13, um sinal de que a crise global de oferta de chips está afetando a Apple com mais força do que o indicado anteriormente, informou o jornal Nikkei nesta terça-feira, citando várias fontes.

A produção de iPad caiu pela metade em relação aos planos originais da Apple nos últimos dois meses, disse o jornal em seu site, acrescentando que as partes destinadas a iPhones mais antigos também estão sendo trocadas para o iPhone 13.

A Apple resistiu à crise de oferta melhor do que muitas outras empresas devido ao seu enorme poder de compra e contratos de fornecimento de longo prazo com fornecedores de chips, abocanhando a participação de mercado de seus rivais no segmento de smartphones e tablets no terceiro trimestre.

No entanto, o chefe da Apple, Tim Cook, alertou que o impacto das restrições de oferta será pior durante o atual trimestre de vendas e que a escassez de chips agora está afetando a maioria dos produtos da empresa.

A fabricante do iPhone está priorizando sua produção principal, o iPhone 13, em parte porque prevê uma demanda mais forte pelo smartphone do que pelo iPad, à medida que os mercados ocidentais começam a emergir da pandemia, disse o Nikkei, citando fontes não identificadas.

Além disso, um vácuo criado pela saída da Huawei do mercado mudou a demanda para empresas como a Apple na China, o que ajudou as vendas da empresa no último trimestre. A Apple registrou um surpreendente crescimento anual de vendas de 83% na China durante o trimestre.

(Reportagem de Bhargav Acharya e Chavi Mehta em Bengaluru)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos