Mercado abrirá em 4 h 15 min
  • BOVESPA

    112.486,01
    +1.576,40 (+1,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.684,86
    +1.510,80 (+3,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,14
    -0,41 (-0,51%)
     
  • OURO

    1.793,20
    +33,30 (+1,89%)
     
  • BTC-USD

    17.115,78
    +231,90 (+1,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    405,34
    +4,64 (+1,16%)
     
  • S&P500

    4.080,11
    +122,48 (+3,09%)
     
  • DOW JONES

    34.589,77
    +737,24 (+2,18%)
     
  • FTSE

    7.573,05
    +61,05 (+0,81%)
     
  • HANG SENG

    18.870,24
    +273,01 (+1,47%)
     
  • NIKKEI

    28.226,08
    +257,09 (+0,92%)
     
  • NASDAQ

    12.041,25
    -1,00 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4083
    +0,0118 (+0,22%)
     

Apple pede que operadoras de telefonia se adaptem a tecnologia sem chip

(Photo by Wang Gang/VCG via Getty Images)
(Photo by Wang Gang/VCG via Getty Images)
  • Empresas de telefonia deverão utilizar a tecnologia eSIM caso ainda desejem operar em aparelhos da Apple

  • Suspeita-se que iPhone 14 já venha inteiramente dependente da nova tecnologia

  • No Brasil, implementação do eSIM ainda encontra dificuldades

Segundo informações obtidas pelo portal MacRumors, especializado em novidades e lançamentos de produtos da Apple, uma fonte anônima teria fornecido um documento que revela o plano da Apple de produzir celulares sem entrada para chips.

O documento traz em si o cronograma das etapas da mudança. A partir do segundo trimestre de 2022, alguns modelos de iPhone 13 começarão a ser vendidos sem chip.

Já para final do ano, época em que a Maçã faz seus lançamentos, está prevista a conclusão da mudança. Isto pode significar que o iPhone 14 pode vir sem a utilização do chip.

Leia também:

A decisão da Apple pela exclusão do chip de operadora não é recente. Há alguns anos a empresa tem a ideia de transformar o celular em um aparelho sem entradas, sem portas.

Em 2016 a empresa realizou seu primeiro passo nessa direção, removendo a entrada do fone de ouvido, o que gerou grandes críticas a empresa.

Da mesma forma, a empresa quer acabar com a entrada de carregador a fio, deixando o aparelho apenas com o carregamento via indução.

A tecnologia do chip virtual

O chip físico desses aparelhos poderá ser substituído por um "chip virtual", chamado de eSIM.

Essa tecnologia não é nova, já existe há alguns anos, mas ainda não foi adotada pela indústria. Alguns modelos mais caros do Samsung Galaxy e o Motorola Razr oferecem suporte a essa tecnologia.

No Brasil, no entanto, essa tecnologia ainda encontra barreiras para ser implementada totalmente. Embora as operadoras ofereçam o eSIM, o processo de transição é demorado e somente para alguns planos.

Além disso, não é possível fazer a escolha através do atendimento automático, sendo necessária a ida a uma loja.