Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.425,70
    +1.015,49 (+2,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Apple pede que funcionários nos EUA informem status de vacinação

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Apple pediu que todos os funcionários nos Estados Unidos informem se foram vacinados ou não, em nova medida da campanha de combate à Covid-19 da empresa, que até agora evitou exigir a vacinação.

A fabricante do iPhone recomendou que os empregados informem sua condição “voluntariamente” até meados de setembro, independentemente de estarem trabalhando remotamente ou nos escritórios. A empresa disse que tem usado os dados para orientar seus protocolos e esforços de resposta à Covid-19. A Apple havia solicitado anteriormente a funcionários na Califórnia, Washington e Nova Jersey que essas informações estivessem em conformidade com os regulamentos locais.

“À medida que a resposta à Covid-19 da Apple continua a evoluir, nosso foco principal continua sendo manter os membros de nossa equipe, seus amigos e familiares e toda a nossa comunidade saudáveis”, disse a Apple no memorando. O prazo para enviar a informação é 17 de setembro.

Um porta-voz da Apple não respondeu a um pedido de comentário.

Ao contrário de vários concorrentes no setor de tecnologia, a Apple não está exigindo a vacinação contra a Covid. Mas tem adotado uma postura mais incisiva. A empresa recentemente iniciou uma campanha para incentivar a vacinação com as aprovações de vacinas pela FDA, agência que regula fármacos e alimentos nos EUA.

No mês passado, a Apple intensificou o programa opcional de testagem para a Covid-19, solicitando que funcionários façam o teste até três vezes por semana.

A Apple disse aos funcionários que os dados sobre a vacinação são “confidenciais e seguros” com o objetivo de agregar informações, sem informar os gerentes sobre as respostas. Ainda assim, essa situação pode mudar no futuro, disse a empresa.

“É possível que o seu estado de vacinação possa ser usado de forma identificável, juntamente com outras informações sobre o seu ambiente de trabalho geral, como a localização do seu edifício, se determinarmos ou, se for exigido, essas informações sejam necessárias para garantir um ambiente de trabalho saudável e seguro”, disse a Apple no memorando.

A empresa planeja o retorno de todos os funcionários corporativos, mas adiou esse o cronograma várias vezes. Inicialmente, tinha como objetivo a volta aos escritórios em junho, prazo que foi adiado até o início de setembro. A Apple depois adiou o retorno para outubro e novamente até janeiro. A empresa pretende avisar os funcionários um mês antes da data de retorno.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos