Mercado fechará em 6 h 22 min
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,74 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,37
    +3,22 (+4,72%)
     
  • OURO

    1.790,00
    +4,50 (+0,25%)
     
  • BTC-USD

    57.055,75
    +2.707,29 (+4,98%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.426,58
    -28,83 (-1,98%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.123,25
    +79,22 (+1,12%)
     
  • HANG SENG

    23.852,24
    -228,28 (-0,95%)
     
  • NIKKEI

    28.283,92
    -467,70 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.187,75
    +136,75 (+0,85%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3199
    -0,0286 (-0,45%)
     

Apple pede bloqueio do aplicativo espião Pegasus em processo contra NSO Group

·2 min de leitura

A Apple deu entrada em um processo contra o NSO Group, empresa responsável pelo polêmico aplicativo de monitoramento Pegasus. Com a ação, a fabricante do iPhone espera bloquear o acesso da companhia israelita a qualquer um de seus dispositivos.

O aplicativo Pegasus, desenvolvido pelo NSO Group, uma firma israelita, quando instalado em um aparelho, permite que o governo de Israel tenha acesso quase completo ao dispositivo, incluindo fotos, mensagens e dados pessoais.

O processo alega que a forma como o aplicativo Pegasus foi implantado em iPhones de ativistas do Oriente Médio é uma grave violação dos termos de serviço e de privacidade dos consumidores da Apple. A empresa fundada por Steve Jobs espera que com a ação judicial, o NSO Group seja bloqueado de usar qualquer programa ou dispositivo fabricado por ela.

Craig Federighi, vice-presidente de engenharia de software da Apple, afirma que a abertura do processo é um importante posicionamento da empresa em prol da privacidade dos consumidores:

Embora essas ameaças virtuais só apresentem riscos para alguns de nossos usuários, a Apple leva todo ataque contra seus clientes a sério, e também estamos constantemente trabalhando para melhorar a segurança e privacidade em nossos dispositivos para manter todos a salvo.

A Apple também confirmou que irá notificar usuários que potencialmente foram alvos do aplicativo Pegasus.

Entendendo o processo da Apple

<em>A falha afetava boa parte dos dispositivos fabricados pela Apple. (Imagem: Reprodução/Apple)</em>
A falha afetava boa parte dos dispositivos fabricados pela Apple. (Imagem: Reprodução/Apple)

Em setembro, pesquisadores do Citizen Lab alertaram a Apple sobre uma falha no app iMessage que permitia a invasão de dispositivos e a instalação forçada de aplicativos. A vulnerabilidade, batizada ForcedEntry (entrada forçada, em tradução livre), afetava todos os dispositivos da Apple no mercado.

Segundo a pesquisa do Citizen Lab, a falha foi usada para instalar o aplicativo de espionagem Pegasus no celular de um ativista de Barém.

Com isso, os pesquisadores acreditam que a falha foi descoberta e explorada pelo próprio NSO Group, alegando como evidência que antes do caso envolvendo o app Pegasus, a vulnerabilidade nunca tinha se tornado pública.

No final de setembro, a Apple liberou atualizações para seus dispositivos corrigindo a falha usada para instalação do Pegasus nos dispositivos.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos