Mercado abrirá em 9 h 15 min

Apple Music cutuca Spotify e se declara "casa de Neil Young" após polêmica

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A Apple Music resolveu promover playlists de Neil Young e mostrar seu apoio ao músico, depois que ele decidiu remover sua obra do catálogo do Spotify devido ao seu descontentamento com a presença de podcasts negacionistas na plataforma, sobretudo, o The Joe Rogan Experience, do comediante antivacina Joe Rogan.

A novidade surgiu na última quinta-feira (27). Young se tornou um dos principais destaques na página inicial da Apple Music, que agora se intitula "a casa de Neil Young". A plataforma criou uma seção especial chamada “We love Neil Young” para apoiar o cantor e mandou notificações push para os fãs do artista.

Na conta oficial da Apple Music no Twitter é possível encontrar um link para a seção com vídeos, álbuns e os singles mais populares do artista.

A revolta de Neil Young com o Spotify

Na última quarta-feira (26), o cantor de folk rock mandou um ultimato ao Spotify de que não permaneceria na plataforma caso ela continuasse a hospedar conteúdo desinformativo e negacionista, principalmente o podcast de Joe Rogan, porém o streaming negou o pedido e escolheu manter o podcast do comediante.

O The Rogan Experience, que custou US$ 100 milhões (R$ 540 milhões) aos cofres do Spotify, é conhecido por espalhar fake news sobre a pandemia de COVID-19, com afirmações que questionam a eficácia das vacinas contra a doença, além de defender a utilização de tratamentos alternativos ineficazes.

De acordo com o próprio Young, o Spotify representava 60% da sua receita de streaming global, o que significava uma grande perda para a sua gravadora. No entanto, músico manteve sua posição pois segundo ele “não poderia continuar a apoiar a desinformação do Spotify que ameaça a vida do público amante da música”.

Uma onda de cancelamentos

Diversos usuários do Spotify ficaram indignados com a situação e demonstraram interesse em mudar de serviço, as plataformas de música da Apple, Amazon, YouTube, Deezer e Tidal foram algumas das opções consideradas pelos consumidores. Além disso, a hashtag “#cancelspotify” foi um dos destaques no Twitter nesta semana. Alguns usuários também publicaram postagens na rede social em que mostravam a tela de cancelamento do serviço.

Alguns usuários reclamaram de problemas para cancelar o Spotify desde o anúncio da saída de Young e muitos não conseguem entrar em contato com o serviço de atendimento ao cliente do app, que tem enfrentado dificuldades devido ao número alto de solicitações, de acordo com o site da própria plataforma.

BREAKING: Spotify has shutdown its live customer support due to an unprecedented number of complaints after they doubled-down on their Joe Rogan anti-vax campaign pic.twitter.com/yscw97xTkt

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos