Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.256,36
    -3.411,42 (-2,95%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.310,27
    -841,11 (-1,86%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,47
    +0,25 (+0,40%)
     
  • OURO

    1.769,10
    -28,80 (-1,60%)
     
  • BTC-USD

    48.658,52
    +151,24 (+0,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    971,53
    -23,13 (-2,33%)
     
  • S&P500

    3.829,34
    -96,09 (-2,45%)
     
  • DOW JONES

    31.402,01
    -559,85 (-1,75%)
     
  • FTSE

    6.651,96
    -7,01 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    30.074,17
    +355,93 (+1,20%)
     
  • NIKKEI

    30.168,27
    +496,57 (+1,67%)
     
  • NASDAQ

    12.788,00
    -514,00 (-3,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7372
    +0,1667 (+2,54%)
     

Apple lança site para ajudar em casos de bloqueios acidentais em iPhones e iPads

Ramon de Souza
·1 minuto de leitura

Para quem é dono de um iPhone ou um iPad, o termo “Bloqueio de Ativação” é motivo para arrepios. Trata-se do nome do mecanismo criado pela Apple para proteger dispositivos perdidos ou roubados, impedindo que qualquer indivíduo não-autorizado utilize o gadget mesmo tentando fazer um hard reset. O problema é quando acabamos bloqueando o produto sem querer, e, para piorar, nos esquecendo de nossas credenciais iCloud.

Lá nos EUA, até então, sofrer com esse tipo de situação significava ter que interagir com algum representante da Maçã — pessoalmente ou por telefone — para tentar provar de todas as maneiras possíveis que você é o dono legítimo daquele smartphone. Pois bem: para facilitar a vida de geral, a companhia decidiu lançar uma página que facilita bastante esse processo e elimina a necessidade de interação humana.

O hotsite explica que o Bloqueio de Ativação pode ser desligado de duas formas diferentes: caso você saiba sua Apple ID e sua senha e caso você tenha esquecido da password. Em situações mais graves, é possível preencher um formulário detalhado para provar que você é dono do iGadget, informando quando e onde ele foi comprado, número de série, dados da nota fiscal (se houver) e outras informações que forem necessárias.

Vale lembrar que o recurso não pode ser usado caso o produto esteja no modo “Buscar” (ou seja, perdido) ou gerenciado por terceiros (ou seja, caso o verdadeiro dono do aparelho seja a empresa para a qual você trabalha).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: