Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.785,50
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.524,39
    -3.209,44 (-5,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

Apple iPhone X: ainda vale a pena comprar?

·7 min de leitura

O Apple iPhone X foi o smartphone que renovou o visual dos celulares da Apple em 2017 e, até hoje, vemos alguns de seus detalhes sendo usados nos lançamentos mais recentes. Ele foi o primeiro a trazer o polêmico entalhe — mais conhecido como ‘notch’ — na parte da frente para a câmera frontal e sensores, a tela OLED, um design mais arredondado e configurações ainda mais potentes.

Lançado no Brasil há quatro anos por R$ 6.999, o iPhone X pode ser encontrado atualmente em plataformas de troca e venda de produtos usados entre R$ 2.000 e R$ 2.500, dependendo da sua condição, o colocando um pouco abaixo do iPhone SE (2020) novo, ainda vendido pela Apple. Mas, afinal, será que vale a pena apostar no iPhone mais antigo em 2021 em vez do mais recente?

Nos próximos parágrafos, destaco todos os pontos positivos e negativos do iPhone X para você conferir se ainda vale a pena comprá-lo!

Review em vídeo do Apple iPhone X

iPhone X: construção e design

Não se pode negar que o design do iPhone X revolucionou o mercado, inspirando dezenas de aparelhos lançados nos anos seguintes. O visual, com o notch gigante cortando parte da tela, até hoje divide opiniões, mas ainda é o que temos de mais atual no portfólio da Apple — mesmo que já tenhamos entalhes menores e soluções mais atuais e discretas na indústria.

iPhone X tem tela de 5,8 polegadas e HDR10 (Imagem: Todd Jiang/Unsplash)
iPhone X tem tela de 5,8 polegadas e HDR10 (Imagem: Todd Jiang/Unsplash)

Se você é um dos usuários que ainda não se acostumaram com esse design dos novos iPhones, eu recomendo ficar de olho no iPhone SE (2020), que se inspirou no antigo iPhone 8 e colocou um chipset mais atual. Ele mantém as bordas mais visíveis e um tamanho bem mais compacto, porém ainda consegue agradar muitas pessoas. Agora, se você já curte o visual mais atual, o iPhone X é o melhor da linha que você vai conseguir por cerca R$ 2.000.

O iPhone X é construído em vidro na parte traseira e aço inoxidável na moldura, construção que atualmente vemos somente nos “iPhones Pro” mais recentes. O corpo também tem resistência a submersão em água doce por até 30 minutos, então ainda se trata de um aparelho bem projetado e resistente, mesmo após quatro anos de lançamento.

iPhone X tem traseira de vidro e resistência à água (Imagem: Bagus Hernawan/Unsplash)
iPhone X tem traseira de vidro e resistência à água (Imagem: Bagus Hernawan/Unsplash)

iPhone X: qualidade de tela e som

O iPhone X foi o primeiro iPhone a trazer tela OLED, em 2017, bem depois dos smartphones Android. A qualidade de imagem, ainda assim, é bem superior em relação aos painéis LCD dos iPhone SE (2020), iPhone XR e iPhone 11, principalmente em relação à vivacidade das cores, níveis de brilho, preto e contraste.

O iPhone de 2017 também pode agradar quem procura um celular com visual atual e compacto, já que são “apenas” 5,8 polegadas de tela, mesmo tamanho do recém-lançado no Brasil Zenfone 8. Vale mencionar, também, o suporte aos padrões HDR10 e Dolby Vision, também presentes nos iPhones mais recentes.

Tela OLED do iPhone X é ótima (Imagem: Youssef Sarhan/Unsplash)
Tela OLED do iPhone X é ótima (Imagem: Youssef Sarhan/Unsplash)

No som, o iPhone X tem alto-falantes estéreos, portanto a qualidade é ótima para consumo de mídia. Como quase todos os iPhones, não há entrada para fones de ouvido, mas isso não chega a ser um problema considerando a tendência atual.

iPhone X: configurações e atualização do iOS

Internamente, o iPhone X roda o chipset A11 Bionic, o mesmo presente no iPhone XR, também lançado em 2017. Ele ainda roda o iOS 15, aplicativos de redes sociais e alguns jogos mais leves muito bem mesmo após quatro anos de vida, mas pode sofrer um pouco em títulos mais pesados por conta da GPU de apenas três núcleos.

Um dos principais motivos que fazem os usuários comprarem um iPhone mais antigo, além do preço mais baixo, é o longo suporte de atualização do iOS. O iPhone X, por exemplo, foi lançado com o iOS 11, mas já recebeu a versão mais recente disponibilizada este ano, o iOS 15. Embora a Maçã não tenha informado, é muito provável que o aparelho também receba o inédito iOS 16, previsto para 2022.

Talvez o ponto em que o iPhone X possa decepcionar para quem o procura em 2021 seja a autonomia de bateria. Com apenas 2.716 mAh, é possível que você não consiga chegar ao fim do dia com carga tanto em uso moderado quanto pesado. A “boa” notícia é que o aparelho suporta recarga rápida de até 15 W — coloquei entre aspas porque provavelmente ele não será enviado junto ao iPhone, e sim aquele de apenas 5 W.

iPhone X: câmeras

Na parte das câmeras o iPhone X não decepciona. Ele tem dois sensores de 12 MP na traseira, uma principal e outra telefoto com zoom óptico de 2x. Ambas as lentes trazem estabilização óptica de imagem, ou seja, conseguem fotografar e filmar com bastante estabilidade, e foco por detecção de fase (PDAF) bem rápido.

Além disso, temos suporte a gravações em até 4K a 60 quadros por segundo (fps) ou até 1080p a 240 fps. Na frente, o sensor se 7 MP grava apenas em Full HD a 30 fps.

(Imagem: Blocks/Unsplash)
(Imagem: Blocks/Unsplash)

Mesmo não trazendo uma câmera ultra-wide, já utilizada na maioria dos iPhones vendidos atualmente, o conjunto duplo do iPhone X pode dar conta do recado. Vale mencionar que os iPhones ainda são os mais procurados por influenciadores e criadores de conteúdos para redes sociais, principalmente o Instagram, pela qualidade de gravação.

Quanto é o iPhone X usado?

Não é difícil encontrar o Apple iPhone X em plataformas digitais de troca e venda de produtos usados. Na OLX, por exemplo, consegui encontrá-lo em ótimo estado custando cerca de R$ 2.300, uns R$ 500 abaixo de um iPhone SE (2020) novo.

Já no Trocafone, o iPhone X de 256 GB em bom estado pode ser encontrado por R$ 2.829, basicamente o valor do iPhone SE (2020) de 64 GB. Além da maior capacidade de memória, o iPhone X se sobressai em design, tela, resistência e câmeras, mas perde no poder de processamento e no suporte a longo prazo, pois deve ser atualizado somente por mais dois anos.

(Imagem: Captura de tela/Canaltech)
(Imagem: Captura de tela/Canaltech)

iPhone X: vale a pena comprar em 2021?

Eu considero o iPhone X o melhor iPhone antigo para comprar caso você esteja pensando em entrar no ecossistema da Apple sem gastar mais que R$ 2.500. A construção ainda é ótima, a tela OLED é de qualidade, as câmeras são competentes e o desempenho ainda deve aguentar tarefas do dia a dia bem.

Talvez a bateria e, principalmente, o fato de receber apenas o futuro iOS 16, sejam os principais pontos negativos do iPhone X, já que você precisaria trocar de iPhone em, aproximadamente, dois anos se quiser ter novos recursos do iOS.

A curto prazo, acredito que valha pagar, no máximo, R$ 2.000 por um iPhone X usado. Mais que isso, eu recomendo juntar mais um pouco e comprar o iPhone SE (2020) 128 GB ou, se não gostar do design mais antiquado, o iPhone 11, que já pode ser encontrado em segunda mão por cerca de R$ 3.000 em bom estado.

Contudo, antes de sair comprando um iPhone X usado após a leitura desse texto, é importante ficar atento a algumas dicas:

  1. A primeira delas, obviamente, é a conservação do smartphone. Geralmente, por fotos é possível ter uma dimensão do estado do produto, mas pergunte sobre tempo de uso, arranhões nos lugares mais incomuns ou qualquer detalhe que possa prejudicar a aparência. Além disso, no caso dos iPhones é imprescindível saber como está a saúde da bateria;

  2. Outra dica é sobre onde comprar. Atualmente existem sites como Trocafone e Sou Barato que oferecem garantia em todos os celulares, além do próprio Mercado Livre, o qual devolve o seu dinheiro se o produto não for entregue;

  3. Caso você opte por negociar com pessoas físicas, através do marketplace do Facebook ou da plataforma OLX, sempre escolha locais de encontro movimentados e nunca transfira o valor do produto antes de encontrar com o vendedor.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos