Mercado fechará em 5 h 52 min
  • BOVESPA

    113.096,78
    -967,58 (-0,85%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.352,54
    -111,73 (-0,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,54
    +0,24 (+0,33%)
     
  • OURO

    1.743,70
    -6,10 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    42.241,06
    -1.817,38 (-4,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.050,83
    -52,23 (-4,74%)
     
  • S&P500

    4.451,65
    +2,67 (+0,06%)
     
  • DOW JONES

    34.812,66
    +47,84 (+0,14%)
     
  • FTSE

    7.066,44
    -11,91 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.220,75
    -82,75 (-0,54%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2527
    +0,0277 (+0,44%)
     

Apple exclui Fortnite de sua loja, e é processada por criadora

·3 minuto de leitura
Fortnite: agora fora da loja da Apple. (Foto: REUTERS/Benoit Tessier)
Fortnite: agora fora da loja da Apple. (Foto: REUTERS/Benoit Tessier)

Uma briga entre grandes atores no campo da tecnologia irrompeu nesta quarta-feira (13) com o anúncio de que a Apple removeu de sua loja de aplicativos o game Fortnite, um dos mais populares do mundo, criado pela Epic Games. Em seguida, a Epic anunciou que processaria a Apple por práticas de monopólio.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Tudo começou quando a Epic anunciou um novo sistema de pagamentos dentro do jogo – pelo qual os jogadores podem comprar “skins” especiais e outros itens. A novidade do sistema é que ele é independente do sistema de pagamentos da Apple, e assim, a Epic não precisa pagar a porcentagem fixa que a Apple cobra de todos os desenvolvedores, de 30%, por transações realizadas dentro do seu ecossistema.

Leia também

A Epic anunciou que a novidade tornaria os itens de Fortnite mais baratos para os jogadores.

Mas a Apple respondeu removendo o app do Fortnite de sua loja. A alegação da empresa criadora do iPhone é que a Epic “violou as regras” da App Store, que valem para todos os desenvolvedores, e são uma forma de manter a segurança e o padrão elevado da loja – além, é claro, de render muito dinheiro.

A Apple adotou um tom amigável no anúncio, dizendo que “trabalharia junto à Epic” para resolver o problema, e salientou a parceria entre as duas empresas de longa data.

Mas, aparentemente, a Epic pretende seguir com o embate, e anunciou que deu entrada em um processo contra a Apple, alegando práticas anti-competitivas e de monopólio.

Ainda resta ver onde vai dar essa briga, mas o movimento da Epic é estratégico: a empresa ataca a Apple em um momento que esta se vê mais exposta às denúncias de prática de monopólio, depois de seu executivo-chefe, Tim Cook, ter testemunhado no Congresso dos Estados Unidos em um processo que busca confirmar exatamente isso, que a Apple pode ser alvo de regulamentações do governo para evitar práticas anti-competitivas e de monopólio.

Para rebater a rival, a Epic lançou um comercial que tira sarro da incônica propaganda em que a Apple desafiava o monopólio da IBM em 1984 com o lançamento do primeiro Macintosh. Veja a seguir:

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos