Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.232,74
    +1.308,56 (+1,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.563,98
    +984,08 (+1,98%)
     
  • PETROLEO CRU

    114,01
    -0,19 (-0,17%)
     
  • OURO

    1.823,00
    +9,00 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    30.095,92
    -1.073,43 (-3,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    667,04
    +424,36 (+174,87%)
     
  • S&P500

    4.008,01
    -15,88 (-0,39%)
     
  • DOW JONES

    32.223,42
    +26,76 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.464,80
    +46,65 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    19.950,21
    +51,44 (+0,26%)
     
  • NIKKEI

    26.547,05
    +119,40 (+0,45%)
     
  • NASDAQ

    12.262,25
    +17,50 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2599
    +0,0008 (+0,02%)
     

Apple dificulta acesso a aplicativos "abandonados" na App Store

·3 min de leitura

A Apple estaria removendo aplicativos que estão há anos sem receber atualizações da App Store. Em e-mails divulgados por desenvolvedores afetados pela medida, a companhia informa que a remoção acontece em programas “sem atualizações por bastante tempo”.

Para que o aplicativo seja mantido na loja, desenvolvedores precisam liberar atualizações em até 30 dias. “Se nenhuma atualização for enviada em 30 dias, o app será removido da loja”, notificou a Apple.

A caça aos aplicativos sem suporte parece imitar uma política recente implementada pelo Google na Play Store: aplicativos com nível de API defasado serão escondidos na loja a partir de 1° de novembro. Embora não tenha esclarecido os motivos, provavelmente a “limpeza” aconteceria para proteger usuários de possíveis vulnerabilidades.

No caso da Apple, a medida é um mais severa, uma vez que não é permitido sideloading (baixar apps por fora da loja oficial) no iPhone e o prazo para solicitar uma revisão é bem mais curto. Assim, se um programa é retirado da plataforma, e a medida não for contestada pelos criadores, ele pode ficar indisponível para sempre.

A restrição, porém, se aplica exclusivamente à disponibilidade do app na App Store. Portanto, se o usuário tiver o aplicativo baixado no celular, ele poderá ser utilizado normalmente.

“Estamos implementando um processo contínuo de avaliação de aplicativos removendo programas que não funcionam mais como pretendido, não seguem diretrizes de revisão atuais ou estão desatualizados”, explicou a Apple em uma página de suporte oficial. Não se sabe, porém, quando essa medida entrou em vigor.

Desenvolvedores insatisfeitos

Insatisfeitos, desenvolvedores afetados pela medida criticam o pente fino da Apple por retirar da App Store programas 100% funcionais e úteis. Criadores de jogos, mas que não são atualizados há anos, comentaram que seus projetos serão ocultados da loja mesmo que tenham feito sucesso no passado.

Considerando as restrições de download em dispositivos Apple, surgem críticas relacionadas à preservação de software. Nas redes sociais, usuários se veem sem alternativa para conseguir acessar aplicativos e jogos clássicos para iOS se eles forem removidos da loja por falta de suporte.

“Podemos assistir a filmes marcantes de décadas atrás, ou desenterrar um SNES e jogar um game icônico... o que faremos quando a Apple tiver removido quase todos os jogos originais e marcantes da App Store?” questionou o desenvolvedor Ryan McLeod.

Política antiga

Embora tenha pegado muitos criadores de surpresa, a varredura da Apple não é uma novidade: em 2016, a empresa anunciou que removeria aplicativos “abandonados” da App Store. Não se sabe exatamente o que mudou para que o assunto virasse polêmica só agora, em 2022.

A Apple não esclareceu os critérios que definem um app como “abandonado” na App Store. Há relatos de que programas atualizados pela última vez em 2019 também são afetados pelo pente fino.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos