Mercado fechado

Apple desenvolverá novos chips para aproximar computadores Mac do iPhone

O CEO da Apple, Tim Cook, iniciou a conferência online da marca, que ocorreu virtualmente por causa da pandemia

A Apple anunciou nesta segunda-feira (22) que irá desenvolver seus próprios chips para os computadores Mac, de forma que a "arquitetura em comum" permita que essas máquinas possam rodar os mesmos aplicativos que o iPhone e o iPad.

A notícia surgiu na conferência anual da Apple - que ocorreu neste ano de forma virtual por causa da pandemia do novo coronavírus -, na qual a gigante tecnológica anunciou uma série de novidades, como detalhes do seu mais novo software, o iOS 4.

A nova iniciativa "Apple silicon" daria fim a uma longa parceria com a Intel, que desenvolvia seus chips, e permitiria que os computadores rodassem os mesmos aplicativos dos celulares e tablets da marca.

O CEO da Apple, Tim Cook, disse que esse passo representa "um grande movimento à frente para o Mac", que pode se tornar mais poderoso e com um sistema mais eficaz de energia, que operaria de forma similar ao iPhone e iPad.

Ele informou que as primeiras máquinas com essa mudança começariam a ser comercializadas até o final do ano, e isso os ajudaria a criar "uma arquitetura em comum para todos os nossos produtos".

Isso significaria que desenvolvedores poderiam criar serviços para todos os eletrônicos da Apple, facilitando o trabalho deles, afirmou a empresa.

"A Apple deu um passo importante ao projetar seu próprio chip, isso os fez impulsionar sua performance de uma forma que outros não fazem", disse Ben Bajarin, analista na Creative Strategies.

A empresa também mostrou um pouco do iOS 14 para o iPhone, o que atualiza o design da tela inicial e permite que os usuários consigam manusear melhor os seus aplicativos.

O novo sistema operacional organizará aplicativos em um compartimento que será como uma espécie de "biblioteca de aplicativos", que mostrará os mais usados pelo usuário.

A atualização "transforma os elementos mais icônicos na experiência no iPhone, a começar pela maior mudança da tela inicial já feita por nós", disse Craig Federighi, vice-presidente sênior de engenharia de software da Apple.