Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.099,41
    -674,66 (-1,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Apple demite programadora durante denúncias de assédio

·1 minuto de leitura
Ashley Gjøvik foi demitida da Apple em meio às acusações contra a empresa. Foto: Reprodução da internet.
Ashley Gjøvik foi demitida da Apple em meio às acusações contra a empresa. Foto: Reprodução da internet.
  • Engenheira sênior de programação denunciou casos de abuso e privacidade na empresa;

  • Gjøvik ficou desapontada com a empresa, que admirava desde a infância;

  • Segundo a Apple, o motivo da demissão foi o compartilhamento desproporcional de informações sigilosas.

Ashley Gjøvik, engenheira sênior de programação da Apple, foi demitida pela empresa em meio a uma licença administrativa forçada, após fazer denúncias de assédio, vigilância e segurança no local de trabalho.

A ex-funcionária afirma que enfrentou retaliação e intimidação imediatamente após divulgar as informações de segurança interna da empresa, em março. A partir desse momento, Gjøvik declara ter se preparado para a possível represália. A engenheira de programação também ressalta o desapontamento com a companhia, que ama desde criança.

Leia também:

Gjøvik começou as denúncias com acusações referentes ao local de trabalho, uma construção nova em um ambiente contaminado com lixo tóxico. A ex-funcionária também trouxe à tona a política rigorosa de vigilância da Apple, que teria acesso aos smartphones dos funcionários.

Além disso, a engenheira de programação detalhou os casos de assédio e abuso de colegas de trabalho e superiores. Desse ponto em diante, Gjøvik foi colocada em licença administrativa por tempo indeterminado.

Segundo a Apple, o motivo da demissão se deu pelo compartilhamento desproporcional de informações sigilosas. Josh Rosenstock, porta-voz da empresa, afirma que a companhia sempre esteve comprometida a criar e manter um local de trabalho positivo e inclusivo.

Gjøvik entrou com reclamação no National Labor Relations Board (NLRB), órgão independente do governo que investiga relações trabalhistas nos EUA. Junto à denúncia, a campanha #AppleToo foi lançada.

As informações são do TecMundo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos