Mercado fechará em 4 h 3 min
  • BOVESPA

    118.542,03
    -1.104,37 (-0,92%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.314,74
    +189,03 (+0,42%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,96
    -0,35 (-0,66%)
     
  • OURO

    1.862,90
    -3,60 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    31.487,13
    -2.014,97 (-6,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    627,13
    -52,78 (-7,76%)
     
  • S&P500

    3.849,92
    -1,93 (-0,05%)
     
  • DOW JONES

    31.174,99
    -13,39 (-0,04%)
     
  • FTSE

    6.738,60
    -1,79 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    29.927,76
    +285,48 (+0,96%)
     
  • NIKKEI

    28.756,86
    +233,60 (+0,82%)
     
  • NASDAQ

    13.324,50
    +30,25 (+0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4614
    +0,0534 (+0,83%)
     

Apple começa a enviar iPhones “especiais” para pesquisadores de segurança

Felipe Demartini
·2 minuto de leitura

A Apple está dando um presente de Natal dos mais úteis e inusitados para pesquisadores de segurança: um iPhone com ferramentas especiais que permitem o estudo das proteções e vulnerabilidades dos aparelhos e do próprio sistema operacional. O dispositivo faz parte de um programa de estudos e fortalecimento em cibersegurança anunciado em julho deste ano, por meio do qual especialistas poderiam se cadastrar para auxiliar a companhia a tornar o ecossistema do iOS ainda mais seguro.

Entre os recursos exclusivos de tais smartphones estão ferramentas capazes de executarem códigos e políticas de contenção de elementos, de forma que arquivos e executáveis contaminados possam ser isolados do restante do sistema, como nos dispositivos que ainda estão sendo programados para venda ao consumidor final. Com isso, os pesquisadores em segurança não vão mais precisar destravar os modelos usados em suas pesquisas, facilitando o trabalho e as contribuições para a segurança do ecossistema.

A ideia da Apple é colaborar com a comunidade de segurança independente e, claro, garantir que especialistas e hackers estejam do lado dela durante todo o processo de detecção de falhas. A entrega de dispositivos especiais também se integra aos programas de recompensas pela localização de bugs da empresa, com os dispositivos sendo emprestados aos pesquisadores por um ano, tendo de ser devolvidos, renovados ou substituídos por modelos mais recentes após o período.

Além dos smartphones em si, os especialistas envolvidos também terão acesso à documentação relacionada ao desenvolvimento dos aparelhos e do próprio sistema operacional, além de um fórum exclusivo no qual poderão entrar em contato com designers e desenvolvedores iOS. A ideia é que eles também colaborem com as pesquisas e auxiliem os experts em segurança na localização de falhas e registro de brechas para correção.

A Apple não deu mais detalhes sobre o programa e as ferramentas fornecidas aos especialistas, justamente, por motivos de segurança. A empresa confirmou apenas que os dispositivos estão sendo enviados aos cadastrados nesta semana e devem chegar em breve às mãos deles, para que os trabalhos comecem já em 2021.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: