Mercado fechado

Apple Card já foi clonado, mesmo com toda sua proteção

Claudio Yuge

Quando o Apple Card foi anunciado, o grande diferencial apresentado foi seu esquema de proteção e privacidade. O cartão físico de titânio não possui número e a única identificação visível é o nome do consumidor, com toda a transação feita a partir da confirmação com números gerados aleatoriamente — o que prometia ser quase impossível de ser clonado, como as atuais versões para débito e crédito. Mas… bem, o pior aconteceu.

Um leitor do 9to5Mac, identificado apenas como David, disse que recentemente descobriu uma transação fraudulenta em seu Apple Card. Após receber uma notificação de possível compra irregular em vários estados, ele acionou o suporte da Apple e explicou que não havia perdido seu cartão. E o pior: foi constatado que o cartão foi utilizado a centenas de quilômetros de distância de onde ele se encontrava.

(Imagem: Reprodução/Apple Card)

Ao questionar sobre o que teria acontecido a um funcionário da Maçã, o representante disse o seguinte: “Não sei como isso pode ter acontecido. É muito raro o seu cartão estar em dois lugares ao mesmo tempo. Como nossos cartões físicos não têm números inscritos nele, isso torna muito difícil para alguém copiá-los. Após contestar a transação, vamos solicitar uma investigação e então descobrir como a cobrança foi realizada”.

Mais seguro, porém não infalível

Como qualquer sistema de segurança, o que foi criado para o Apple Card não é infalível. Embora ele realmente traga uma camada extra de proteção, por conta da ausência de números, ainda possui uma tarja magnética com chip.

É bem provável que o cartão tenha sido clonado exatamente da mesma forma que outros por aí, a partir de alguma máquina com contato físico capaz de copiar esses dados em um posto de gasolina, por exemplo. Nesse caso, o pagamento via Apple Pay, que evita qualquer contato, seria mais indicado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: