Mercado abrirá em 1 h 23 min
  • BOVESPA

    106.296,18
    -1.438,82 (-1,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.889,66
    -130,44 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,52
    +0,76 (+0,91%)
     
  • OURO

    1.800,20
    +3,90 (+0,22%)
     
  • BTC-USD

    62.664,65
    +1.638,23 (+2,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.453,34
    -49,70 (-3,31%)
     
  • S&P500

    4.544,90
    -4,88 (-0,11%)
     
  • DOW JONES

    35.677,02
    +73,92 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.244,42
    +39,87 (+0,55%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.382,50
    +41,50 (+0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5648
    -0,0160 (-0,24%)
     

Apple apela de veredicto em batalha legal com a Epic Games

·1 minuto de leitura
A Apple apelou da decisão de uma juíza que ordenou a flexibilização do controle da empresa sobre as opções de pagamento na App Store (AFP/Nicholas Kamm)

A Apple apelou nesta sexta-feira (8) do veredicto de uma juíza federal no meio da batalha legal com a Epic Games, desenvolvedora do popular videogame Fortnite, pelo controle excessivo da App Store sobre o conteúdo vendido na plataforma.

A Apple apresentou uma petição ao Tribunal de Apelações do Nono Circuito de San Francisco para anular a decisão de 185 páginas da juíza do Tribunal Distrital dos Estados Unidos, Yvonne Gonzalez-Rogers.

Embora a juíza tenha ordenado que a Apple flexibilizasse o controle das opções de pagamento na App Store, a magistrada sustentou que a Epic não conseguiu provar qualquer violação das leis antitruste.

A Epic apresentou seu próprio recurso no mês passado.

"Continuaremos lutando", escreveu Tim Sweeney, CEO da Epic, no Twitter, quando a empresa confirmou seu plano de contestar o veredicto.

A Apple admitiu dias após a decisão de Gonzalez-Rogers que estava "muito feliz" com a decisão, mas que havia deixado a porta aberta para uma apelação.

As empresas optaram por um julgamento em que um juiz, em vez de um júri, ouve as provas e dá um veredicto.

A Epic iniciou o processo com o objetivo de quebrar o controle da Apple sobre a App Store, acusando a fabricante do iPhone de atuar como um monopólio em sua loja de produtos e serviços digitais.

A juíza proibiu a Apple de impedir que os desenvolvedores incluíssem em seus aplicativos "links externos ou outras chamadas à ação que direcionem os clientes a mecanismos de compra".

A Apple ainda pode exigir que seus sistemas de pagamento sejam usados para transações dentro do aplicativo.

gc/dw/ag/mr/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos