Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    56.976,71
    +494,01 (+0,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Apple anuncia novo iPad, assinatura de podcast e iMacs coloridos

PAULA SOPRANA
·4 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em seu primeiro evento virtual do ano, a Apple anunciou nesta terça-feira (20) uma nova versão de iPad, uma linha de computadores coloridos e um serviço de assinatura de podcast. Além dos principais lançamentos, a gigante de tecnologia dos Estados Unidos também apresentou mudanças no Apple card, o AirtTag (um pequeno rastreador portátil que facilita a busca por objetos perdidos), a nova geração da AppleTV 4K e um iPhone 12 (a última versão, de outubro) na cor roxa. Já aguardado pelo mercado, o novo iPad Pro contará com a mesma arquitetura da nova linha de computadores da Apple. Com o chip M1, o mais avançado já produzido pela companhia, a velocidade de processamento e o desempenho gráfico devem evoluir 50% e 85%, respectivamente, segundo dados da companhia. Ele já está inserido em outros produtos do mercado, como o MacBook Air de 13 polegadas e o MacBook Pro. O tablet também terá a opção de conexão 5G, assim como a última linha de iPhones anunciada em 2020. Nos Estados Unidos, o novo iPad de 11 polegadas custa US$ 799; o de 12,9 polegadas, US$ 999. Na loja online do Brasil, eles custam R$ 10.799 e R$ 14.799, respectivamente, e não têm data definida para a entrega. Segundo a empresa, os produtos devem chegar "em breve". A Apple registrou um dos melhores trimestres para a venda de iPads nos últimos anos no período de outubro a dezembro de 2020. Com o distanciamento social devido ao coronavírus, as compras por dispositivos móveis e eletrônicos em geral cresceram, e a receita do setor de tablets subiu 41% na companhia americana em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. Foram US$ 8,4 bilhões em vendas. Também anunciado no evento transmitido de Cupertino, na Califórnia, o novo iMac chega ao mercado com um catálogo de sete cores e a espessura 50% menor em relação à última versão de computadores (com 11,5mm). A tela tem 24 polegadas e 4.5K de resolução. As opções de cor são branco, azul, roxo, vermelho, laranja, amarelo e verde. Com uma evolução de câmeras e de áudio destinados a otimizar a pessoa em frente à tela -uma demanda para o período de lives e conferências ao vivo-, a nova linha tem o chip M1, uma tela que se adapta de acordo com a luz do ambiente, hiperdetalhamento de rosto na imagem e recursos avançados de áudio para dar mais clareza à voz. Os microfones prometem "qualidade de estúdio", segundo a Apple, e vêm com um sistema de som de seis alto-falantes. De acordo com a empresa, a ideia é que o interlocutor não ouça "o que está a sua volta". O teclado também recebe o Touch ID, um botão de impressão digital que permite login e transações com maior segurança. Também sem data para chegar ao Brasil, os computadores custarão US$ 1.299 e US$ 1.499 nos Estados Unidos, e estarão disponíveis na segunda metade de maio. Na loja brasileira vão de R$ 17.599 a R$ 22.599, a depender das configurações. Com o mercado de podcasts aquecido, a empresa também lançou um serviço de assinatura em seu aplicativo Apple Podcasts. Disponível em 170 países no próximo mês, o serviço pago dará vantagens como conteúdo livre de anúncios e acesso antecipado. Parceiros iniciais, como a rádio NPR, pagarão cerca de US$ 20 para a Apple por ano para oferecer assinaturas no aplicativo, de acordo com o site The Verge. A companhia americana ficaria com 30% da receita no primeiro ano e com 15% nos anos seguintes. O evento teve a participação de Tim Cook, presidente-executivo da companhia, que dedicou parte de sua falar ao setor de podcasts. Em sua apresentação, destacou que a Apple ajudou a fomentar a indústria desse tipo de mídia em 2005. Pesquisa recente da eMarketer sobre o nicho de podcasts mostra que, pela primeira vez, o Spotify deve ultrapassar o aplicativo da Apple nos Estados Unidos. A previsão é que 28,2 milhões de americanos ouçam podcasts pelo aplicativo europeu ao menos uma vez por mês neste ano, contra 28 milhões no aplicativo americano. A projeção de crescimento para o Spotify em 2021 é de 41,3%. A Apple perde participação nesse mercado desde 2018, quando detinha cerca de 34% dos ouvintes, fatia que caiu par a 23,8% hoje, segundo a eMarketer. A gigante americana também anunciou o AirTag, um pequeno dispositivo portátil para auxiliar a busca por objetos perdidos. Conectado ao Find My (aplicativo da Apple que localiza aparelhos pessoais da marca), o objeto digital pode servir como uma espécie de chaveiro, sendo acoplado a malas, mochilas ou carteiras, por exemplo. Atráves do aplicativo da Apple, é possível rastrear o AirTag e encontrá-lo com a ajuda de indicações de som e imagem emitidas pelo tablet ou celular. Nos Estados Unidos, o dispositivo será vendido por US$ 29. No Brasil, o preço mínimo é de R$ 369, sem data prevista para entrega.