Mercado fechará em 4 h 8 min
  • BOVESPA

    119.512,47
    -51,97 (-0,04%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.878,06
    +478,26 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,15
    -0,48 (-0,73%)
     
  • OURO

    1.815,60
    +31,30 (+1,75%)
     
  • BTC-USD

    57.304,41
    -16,06 (-0,03%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.486,69
    +15,27 (+1,04%)
     
  • S&P500

    4.183,95
    +16,36 (+0,39%)
     
  • DOW JONES

    34.431,68
    +201,34 (+0,59%)
     
  • FTSE

    7.076,17
    +36,87 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.540,00
    +49,00 (+0,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3632
    -0,0637 (-0,99%)
     

Apple AirTag ganha novo desmanche com detalhes dos chips e outros componentes

Renan da Silva Dores
·3 minuto de leitura

Oficializada durante o evento Spring Loaded no último dia 20, as Apple AirTags são a solução da gigante de Cupertino para o mercado de tags inteligentes, e concorrentes diretas das Galaxy SmartTags da Samsung. Menor que as concorrentes, a solução da Apple se destaca pelo design sóbrio, acessórios variados e integração ao sistema Find My, que engloba ainda iPhones, Macs, iPads e outros aparelhos.

Agora disponíveis para compra, as AirTags começaram a chegar a diversos veículos de comunicação, como o iFixit e o YouTuber Zack Nelson, do canal JerryRigEverything. Em um desmanche um pouco diferente do convencional, Zack analisa a resistência da construção do dispositivo, ao mesmo tempo em que confere as decisões da Apple para os componentes internos.

Bateria removível e corpo como speaker

A base da AirTag é feita de aço inoxidável, mas curiosamente apresenta arranhões e marcas mais profundas com facilidade, sofrendo avarias já a partir da ferramenta de nível 3 de dureza de Zack. Segundo o criador de conteúdo, a culpa não é do aço em si, bastante resistente, mas sim do acabamento utilizado pela Apple na superfície.

A base dá acesso fácil ao interior do acessório, bastando apenas pressioná-la. Logo abaixo está a bateria removível, do tipo CR2032, que promete duração de até um ano e pode ser substituída pelo próprio usuário, escolha muito bem-vinda por parte da Maçã. A AirTag conta com certificação IP67 de resistência à água e poeira, sendo um pouco mais trabalhoso de se chegar aos circuitos, armazenados de baixo de uma estrutura bem selada de plástico.

Logo à primeira vista, é possível ver a placa-mãe e o speaker magnético, algo também destacado pelo iFixit. Combinando um ímã com bobinas de cobre, a Apple faz o corpo inteiro da AirTag ser um speaker, solução eficiente e que aparenta apresentar bons resultados.

Os circuitos são organizados em formato de anel, e chegam a lembrar a base da Apple no Apple Park, na cidade de Cupertino, na Califórnia. Ainda assim, Zack acredita ser pouco provável que a companhia tenha tomado o edifício como base para a construção das AirTags.

UWB, Bluetooth e NFC para comunicação

O acessório conta com Bluetooth Low Energy (LE), para comunicação a amplas distâncias, além do chip Ultra Wideband (UWB), conhecido como o "GPS para ambientes internos", graças à altíssima precisão que proporciona. Mesma tecnologia presente nas Galaxy SmartTags+ da Samsung, o UWB se comunica diretamente com o smartphone utilizando ondas de alta frequência.

A Apple AirTag conta com Bluetooth LE e UWB para garantir fácil localização em curtas e longas distâncias (Imagem: Reprodução/JerryRigEverything)
A Apple AirTag conta com Bluetooth LE e UWB para garantir fácil localização em curtas e longas distâncias (Imagem: Reprodução/JerryRigEverything)

Para definir com precisão a localização das tags inteligentes, o celular emite uma onda e calcula o tempo decorrido da emissão até o retorno do sinal, cuja intensidade também é medida. Isso possibilitou o desenvolvimento de uma experiência de Realidade Aumentada, que guia o usuário à AirTag, desde que o acessório esteja ao alcance.

Há ainda NFC, que tambéem possibilita comunicação com celulares Android (Imagem: Reprodução/JerryRigEverything)
Há ainda NFC, que tambéem possibilita comunicação com celulares Android (Imagem: Reprodução/JerryRigEverything)

Por fim, atrás de uma estrutura de plástico preto encontram-se os circuitos para comunicação via NFC, pela qual outros aparelhos, incluindo smartphones Android, podem ter acesso a informações de contato do responsável pela AirTag. Enquanto dispositivos Apple tem acesso mais completo através do app Find My, os celulares com sistema da Google são encaminhados a uma página com os dados.

AirTag já está à venda, inclusive no Brasil

As Apple AirTags foram disponibilizadas para compra na última sexta-feira, 30 de abril, inclusive no Brasil. Os acessórios são vendidos individualmente ou em pacotes com quatro tags, custando R$ 369 e R$ 1.249, respectivamente.

A Apple AirTag é vendida a preços a partir de R$ 369, com os acessórios começando em R$ 379 (Imagem: Divulgação/Apple)
A Apple AirTag é vendida a preços a partir de R$ 369, com os acessórios começando em R$ 379 (Imagem: Divulgação/Apple)

Considerando a ausência de furos, é necessário ainda desembolsar ao menos R$ 379 em faixas e chaveiros caso o usuário pretenda fixar a AirTag em algum objeto, algo que pode ser contornado com soluções caseiras, no entanto.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: