Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.487,88
    +1.482,88 (+1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.518,30
    +228,40 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,35
    +0,07 (+0,06%)
     
  • OURO

    1.845,10
    +3,00 (+0,16%)
     
  • BTC-USD

    29.983,42
    +519,67 (+1,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    650,34
    -23,03 (-3,42%)
     
  • S&P500

    3.901,36
    +0,57 (+0,01%)
     
  • DOW JONES

    31.261,90
    +8,80 (+0,03%)
     
  • FTSE

    7.389,98
    +87,24 (+1,19%)
     
  • HANG SENG

    20.717,24
    +596,54 (+2,96%)
     
  • NIKKEI

    26.739,03
    +336,23 (+1,27%)
     
  • NASDAQ

    11.838,00
    -2,75 (-0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1406
    -0,0782 (-1,50%)
     

Apple abandona telas OLED produzidas pela BOE após “mudanças de design”

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A Apple cortou o fornecimento de telas OLED fabricadas pela chinesa BOE da cadeia de suprimentos do iPhone 13. Segundo as informações do coreano The Elec, mudanças no design dos painéis teria motivado a decisão da marca norte-americana.

Desde 2021, a BOE é responsável por fornecer painéis OLED de 6,1 polegadas para iPhones. Entretanto, fontes do The Elec citam que a empresa chinesa teria entregado uma “quantidade escassa” de componentes desde fevereiro e o volume da produção de telas teria despencado nos últimos quatro meses.

Aparentemente, a falta de circuitos integrados de drivers de vídeo teria sido o motivo da queda da produção dos painéis. A escassez de peças teria ocorrido porque a LX Semicon, fornecedora dos componentes, teria priorizado os pedidos da LG Display.

Para tentar driblar esse problema, a BOE teria supostamente mudado o design dos painéis OLED e expandido a largura do circuito de transistores. Então, ao descobrir a alteração, a Apple teria pedido para a fabricante chinesa interromper a produção de novas telas.

Corte da BOE aumenta a disputa entre os fornecedores de telas para Apple (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)
Corte da BOE aumenta a disputa entre os fornecedores de telas para Apple (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Briga pelo fornecimento de displays

Segundo analistas, a Apple não deve excluir completamente a BOE da cadeia de suprimentos de telas OLED. No caso, a presença da chinesa força as rivais Samsung Display e LG Display a serem mais competitivas e reduzirem os preços dos componentes.

Para mais, fontes da indústria indicam que a fábrica da empresa na cidade chinesa de Sichuan segue funcionando. Com isso, é possível supor que a fornecedora está trabalhando em uma solução para atender as exigências da Apple.

Por outro lado, a notícia vem a público dias após a Samsung Display supostamente ameaçar processar a Apple por descumprir obrigações contratuais. Enquanto a coreana estaria aguardando um pedido de 160 milhões de painéis OLED para iPhones, a americana planeja diminuir a produção total dos dispositivos de 220 milhões para 185 milhões de unidades em 2022.

Segundo as informações, a Samsung Display teria pedido para a Apple reduzir os pedidos de telas de outros fornecedores e manter o antigo contrato – medida que atingiria diretamente a BOE. Caso isso não ocorra, a empresa pode entrar na justiça alegando uso de uma patente em um produto que contém painel OLED de um concorrente.

BOE ainda mantém os planos para ser a principal fornecedora de telas para iPhones (Imagem: Reprodução/VCG)
BOE ainda mantém os planos para ser a principal fornecedora de telas para iPhones (Imagem: Reprodução/VCG)

Crescimento da BOE

Desde o início do contrato com a Apple em 2021, a BOE fabricou cerca de 20% dos painéis OLED usados no iPhone 13 padrão. Conforme os rumores, a chinesa tem um sólido plano de expansão para ultrapassar a LG e ser um dos principais fornecedores de telas de iPhones em 2023.

Curiosamente, a empresa também deve se tornar fornecedora de telas LCD para os celulares de entrada da Samsung. Recentes informações indicam que as empresas estariam em negociações após a coreana optar por focar na produção de displays OLED.

Além disso, a BOE também alimenta a cadeia de suprimentos de painéis OLED de outras fabricantes de celulares, como as chinesas Huawei, Honor e Xiaomi. Fatores que contribuem ainda mais com o crescimento da fabricante no mercado de displays.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos