Mercado fechará em 4 h 56 min

App detecta acúmulo de líquido nos pulmões e previne insuficiência cardíaca

Natalie Rosa

Um simples aplicativo para smartphone pode se tornar um aliado no diagnóstico de problemas cardíacos provocados por danos nos pulmões, de acordo com estudo publicado nesta sexta-feira (19) na plataforma científica European Society of Cardiology.

O professor Amir Offer, autor do estudo e diretor do Instituto do Coração do Centro Médico Hadassah, em Jerusalém, Israel, conta que a fala de cada um é muito pessoal e que, por isso, pequenas mudanças podem ser notadas para que vidas sejam salvas. 

"Hoje, relatamos os resultados do primeiro dispositivo de monitor cardíaco fácil de usar, não-invasivo e personalizado. Ele exige apenas uma gravação simples de 30 segundos por dia, em qualquer idioma", explica o pesquisador, que conta ainda como é feita essa análise.

Pacientes que experienciam a insuficiência cardíaca apresentam falha na função de bombeamento do coração, que não funciona da maneira correta e segura. Entre os sintomas mais comuns da condição está a falta de ar, causada pela congestão de água nos pulmões. Essa congestão pode ser fatal e, por isso, fazer a identificação o quanto antes pode ser crucial para a sobrevivência.

O pulmão congestionado provoca mudanças sutis no padrão de fala, que podem auxiliar no diagnóstico mesmo se tratando de detalhes difíceis de detectar. O processamento de fala, atualmente, é feito de várias maneiras, como a conversão de um texto em fala, por exemplo, ou o reconhecimento automático de voz. No estudo de Offer, foi testada a habilidade de um aplicativo para smartphone conseguir distinguir vozes em estados congestionados ou não.

Imagem: Reprodução

O estudo contou com a participação de 40 pacientes internados com insuficiência cardíaca aguda e congestão pulmonar, que precisaram gravar cinco frases em um smartphone padrão logo após a admissão no hospital. Ao receberem alta, os pacientes fizeram a mesma coisa para que pudesse ser comparadas as frases nos dois momentos. Cada gravação foi feita entre dois e cinco segundos.

O experimento deu certo, segundo os pesquisadores, com a tecnologia conseguindo distinguir com sucesso o estado congestionado do estado normal dos pacientes. Offer revelou que o sistema pode ser usado também para o monitoramento domiciliar de pacientes com insuficiência cardíaca, basta que o médico prescreva o aplicativo.

Fazendo o download do app para o smartphone, os pacientes fazem o download e enviam as gravações de voz quando estão se sentindo bem para servir como um padrão. Diariamente, então, devem ser gravados novos áudios para que seja feita a detecção de pequenos desvios que indicam para o início do acúmulo de líquido nos pulmões, com o app emitindo um alerta.

Quanto mais gravações em estado saudável são feitas, mais referências o modelo terá, se tornando a cada vez mais sensível à pequenas mudanças de fala. "Durante a atual pandemia da COVID-19, profissionais de saúde estão transicionando muitos pacientes para plataformas de telemedicina, destacando a importância do monitoramento remoto para reduzir o risco de exposição ao vírus", completa o pesquisador.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Canaltech