Mercado abrirá em 23 mins
  • BOVESPA

    111.539,80
    +1.204,97 (+1,09%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.682,19
    +897,61 (+2,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    60,71
    +0,96 (+1,61%)
     
  • OURO

    1.722,70
    -10,90 (-0,63%)
     
  • BTC-USD

    51.758,22
    +2.841,50 (+5,81%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.032,96
    +44,86 (+4,54%)
     
  • S&P500

    3.870,29
    -31,53 (-0,81%)
     
  • DOW JONES

    31.391,52
    -143,99 (-0,46%)
     
  • FTSE

    6.667,55
    +53,80 (+0,81%)
     
  • HANG SENG

    29.880,42
    +784,56 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    29.559,10
    +150,93 (+0,51%)
     
  • NASDAQ

    13.128,25
    +73,00 (+0,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,8791
    +0,0170 (+0,25%)
     

App de namoro gay é multado por compartilhar dados de usuários

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
Grind, envolvido em nova polêmica. (Foto: Thomas Trutschel/Photothek via Getty Images)
Grind, envolvido em nova polêmica. (Foto: Thomas Trutschel/Photothek via Getty Images)

O aplicativo de namoro Grind, um dos mais populares do mundo, e focado no público LGBTQIA+, foi multado em mais de R$ 62,6 milhões por compartilhar dados de seus usuários para finalidades comerciais.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

A multa foi emitida na Noruega, por um órgão responsável por supervisionar o tratamento de dados das empresas, de acordo com as regras de privacidade da União Europeia.

Leia também:

A empresa responsável pela manutenção do Grindr se defende das acusações, e afirma que os problemas constatados pelas autoridades norueguesas são relativas a práticas de 2018, e que elas não são mais vigentes na rotina do aplicativo.

"A autoridade de proteção de dados da Noruega considera este um caso sério", disse em entrevista à agência de notícias Reuters Bjorn-Erik Thon, diretor responsável pelo caso. "Os usuários não conseguiam exercer controle real e eficaz sobre a maneira como compartilhavam seus dados".

Agora, o app tem até o dia 15 de fevereiro para responder ao processo da Noruega.

No passado, o Grind, que era controlado pela empresa chinesa Beijing Kunlun Tech até a sua venda em 2020, já esteve envolvido em polêmicas sobre vazamentos de dados de usuários.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube