Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.127,50
    -409,36 (-0,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

App brasileiro de lives aposta em monetização e artistas para bombar

·3 minuto de leitura

No início da pandemia da Covid-19, as lives tornaram-se uma frequente para profissionais e artistas, em especial. Sem shows, o jeito era se juntar aos parceiros para tentar faturar alguma grana dos fãs e patrocinadores. Ainda que essa moda tenha esfriado, o fato é que as transmissões online continuam a pleno vapor nos mais diversos segmentos econômicos.

Foi pautada nessa percepção que desenvolvedores brasileiros criaram uma plataforma chamada Taboom, voltada para a disseminação de conteúdo musical relevante com enfoque local. O app foi concebido durante o isolamento social e pensado para entregar soluções específicas ou aprimorar o que as redes sociais tradicionais não entregam.

O app foi desenvolvido no Brasil e é voltado para brasileiros (Imagem: Divulgação/Taboom)
O app foi desenvolvido no Brasil e é voltado para brasileiros (Imagem: Divulgação/Taboom)

O aplicativo oferece a possibilidade de mudar o layout das lives em tempo real, sem interromper a transmissão, além de um interessante programa de remuneração de criadores de conteúdo com gorjetas, ideia parecida com o Tip Jar, do Twitter. O usuário pode carregar um saldo de créditos e enviar moedas para seus artistas favoritos, com valores que vão desde R$ 4,90 (50 moedas) até R$ 22,90 (255 moedas) — novos usuários ganham 200 moedas como presente.

Segundo um dos fundadores da rede, Bruno Orsini, o objetivo da plataforma é aproximar artistas e produtores de conteúdo do público. “A ferramenta já está proporcionando muitas possibilidades de interação. Por exemplo, os criadores de conteúdo podem fazer quiz e enquetes em tempo real, batalhas de dança e até receitas culinárias, em que o público escolhe os ingredientes que vão ser usados”, explica Bruno, que trabalhou antes como gerente de produto e Business Development do Google, além de Diretor de Produto do Quinto Andar.

Foco em artistas

Entre os famosos que usam o serviço está o ator e humorista Marco Luque, famoso pelos personagens Jackson Five e Mustafary. Por lá, ele interpreta o taxista Silas Simplesmente e o bilionário Ed Nerd, mas outros também devem dar as caras até o final de outubro. Há ainda outros produtores de conteúdo como Gabi Vidigal (Pílula Matinal), Rafael Fantini (Um Café e Um Beat), Zotha (Boteco do Zotha) e Amanda Ramalho (Tarô & Vinho).

O humorista Marco Luque é a principal estrela do Taboom (Imagem: Divulgação/Taboom)
O humorista Marco Luque é a principal estrela do Taboom (Imagem: Divulgação/Taboom)

Nada será como antes

A plataforma também pretende reforçar sua presença no contexto musical com a série Nada Será Como Antes. Esse projeto deve reunir dez artistas para a produção de cinco músicas exclusivas, criadas em conjunto com o público, até o fim do mês. A ideia é que a iniciativa resulte em canções compostas em duplas, mixadas e lançadas nas principais plataformas de streaming em novembro.

Esses são os artistas que participarão do projeto:

  • Tuyo + Dinho Almeida (Boogarins)

  • Maria Luiza Jobim + Zé Ibarra

  • Helio Flanders (Vanguart) + Jonathan Ferr

  • Romero Ferro + Teago Oliveira (Maglore)

  • Brisa Flow + Jup do Bairro

Embora tenha enfoque no Brasil, o aplicativo também pode ser baixado por pessoas de outros países, como Estados Unidos e Portugal, servindo como uma plataforma para conectar estrangeiros com a cultura brasileira, mesmo à distância.

A plataforma acumula mais de 10 mil downloads e possui versões para iOS (App Store) e Android (Play Store). No último mês, foram 305 acessos médios por mês, um total de 18.469 logins. Ainda é pouco se comparado às grandes redes sociais, mas esses números podem crescer com a adesão de mais artistas ou personalidades famosas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos