Aposta em juros menores leva ganhos a bolsas da Europa

As bolsas europeias fecharam em alta nesta quinta-feira, recuperando os ganhos após terem operado em queda no início da coletiva de imprensa do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi. A recuperação veio após Draghi indicar que o BCE considerou cortar a taxa básica de juros. Dados positivos da Alemanha também contribuíram para a alta. O índice pan-europeu Stoxx 600 ganhou 0,69%, fechando a 278,82 pontos.

Em entrevista coletiva Draghi disse que o conselho do BCE reduziu as previsões para o crescimento da zona do euro para os próximos três anos, na comparação com as projeções anunciadas há três meses. O banco prevê contração de entre 0,6% e 0,4% do Produto Interno Bruto (PIB) da região neste ano. Para 2013 e 2014, a previsão para o crescimento é de intervalos de entre -0,9% e +0,3% e 0,2% e 2,2%, respectivamente.

Mesmo assim, segundo analistas, os investidores se animaram com a possibilidade de um futuro corte nos juros, indicada por Draghi. "Apesar de um prognóstico do BCE de fraco crescimento da zona do euro, os mercados europeus se mantiveram no positivo", disse o analista sênior da CMC Markets Michael Hewson.

Dados positivos também impulsionaram as altas no mercado europeu. Na Alemanha, as encomendas à indústria subiram 3,9% em outubro ante setembro, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira pelo Ministério da Economia. O resultado ficou bem acima das previsões dos analistas, que esperavam aumento de 1,0%. Na comparação de outubro deste ano com o mesmo mês do ano passado, as encomendas avançaram 3,4%.

Nesse cenário, o índice DAX da Bolsa de Frankfurt fechou com a maior alta entre os mercados acionários europeus, registrando aumento de 79,99 pontos (1,07%), a 7.534,54 pontos. Segundo Hewson, o nível se aproxima dos mais altos verificados desde maio de 2011.

A Bolsa de Paris avançou 11,15 pontos (0,31%), fechando a 3.601,65 pontos, mesmo após as ações da GDF Suez despencarem 11,3% com o anúncio de que a empresa terá um faturamento reduzido em 2013.

Já o índice FTSE, da Bolsa de Londres, ganhou 9,34 pontos (0,16%) e fechou a 5.901,42 pontos, logo acima da barreira psicológica de 5.900. Mas o analista da IG Chris Beauchamp afirmou que esse nível não pode ser considerado "seguro".

O índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, ganhou 0,48%, fechando a 5.397,36 pontos. E em Madri o índice IBEX-35 avançou 0,35%, fechando a 7.910,80 pontos.

A Bolsa de Milão foi a única que fechou em queda. O FTSE-Mib perdeu 0,75% e encerrou a sessão a 15.835,22 pontos, com a preocupação dos investidores em relação à sobrevivência do governo tecnocrata do primeiro-ministro Mario Monti. Os receios na Itália cresceram depois que um partido de centro-direita se absteve sobre o voto de confiança a um decreto governamental. As informações são da Dow Jones.

Carregando...