Mercado abrirá em 1 h 11 min
  • BOVESPA

    108.402,27
    +1.930,27 (+1,81%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.354,86
    +631,46 (+1,35%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,83
    +1,07 (+1,18%)
     
  • OURO

    1.807,40
    +2,20 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    23.310,67
    -787,94 (-3,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    542,53
    -0,34 (-0,06%)
     
  • S&P500

    4.140,06
    -5,13 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    32.832,54
    +29,04 (+0,09%)
     
  • FTSE

    7.485,05
    +2,68 (+0,04%)
     
  • HANG SENG

    20.003,44
    -42,33 (-0,21%)
     
  • NIKKEI

    27.999,96
    -249,28 (-0,88%)
     
  • NASDAQ

    13.117,00
    -66,25 (-0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2293
    +0,0199 (+0,38%)
     

Aposentados se preparam para o segundo fim de ano sem o 13º

·3 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 10.09.2020 - Sala onde é realizada a perícia médica em agência da Previdência Social da Vila Mariana, na capital paulista. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 10.09.2020 - Sala onde é realizada a perícia médica em agência da Previdência Social da Vila Mariana, na capital paulista. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Pelo segundo ano seguido, os aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) ficarão sem receber o 13º salário no fim do ano, quando, tradicionalmente, o abono é pago aos beneficiários da Previdência Social e aos trabalhadores da ativa.

Em 2020, para atenuar os efeitos da crise econômica provocada pela pandemia da Covid-19, o governo federal decidiu antecipar o pagamento do 13º salário para o primeiro semestre. Neste ano, a equipe econômica repetiu a medida, liberando as duas parcelas do abono entre os meses de maio e julho (de acordo com o número final do benefício).

Com a mudança, os segurados ficarão mais uma vez sem a grana extra para cobrir as despesas de fim e de início de ano. A aposentada Cristiane Soares Tenca de Souza, 56 anos, conta que não conseguiu guardar o dinheiro do 13º que recebeu no meio do ano. "A situação está bem apertada. As contas aumentaram muito", lamenta.

O jeito, acrescenta, será economizar nas festas de fim de ano. "Vamos ter que apertar mais o cinto. O Natal, por exemplo, vai ser mais simples. E peru só em sonho, de tão caro que está."

"Se eu pudesse optar, escolheria sempre receber no fim do ano. No meio do ano a gente gasta e nem vê", afirma a aposentada Odi Abreu, 67, moradora da zona norte da capital paulista. "Espero que tudo volte ao normal no ano que vem", diz ela.

Para o aposentado Wilson Bernardes de Souza, 65, o jeito para conseguir complementar a renda foi fazer bicos na área da construção civil. "Se eu não fizesse esses bicos, a situação ficaria bem mais apertada agora no fim do ano", afirma ele.

Outro aposentado que terá de fazer trabalhos extras para cobrir a falta de grana que o abono traria é Waldir Francisco da Silva, 65. "O ideal mesmo seria se, nesse período de pandemia, pelo menos, o governo liberasse o 14º salário", diz, sobre projeto que tramita na Câmara.

Projeto do 14º salário avança na Câmara Tramita na Câmara dos Deputados um projeto de lei que prevê o pagamento de um 14º salário para beneficiários do INSS em caráter experimental.

A proposta foi criada para minimizar os impactos financeiros da pandemia de Covid-19. Se a matéria for aprovada, as parcelas serão pagas em março de 2022 e de 2023, limitadas a até dois salários mínimos (R$ 2.200 neste ano). Na última quarta (24), o texto passou na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara.

Agora, o texto será examinado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, a última a fazer a avaliação.

Se for aprovado nesta comissão, o projeto vai direto para o Senado. De lá, caso seja avalizado pelos senadores, irá para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

O projeto original, do deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS), previa o 14º para aposentados e pensionistas do RGPS (Regime Geral de Previdência Social) nos anos de 2020 e 2021.

Durante a tramitação, a proposta foi anexada a um outro projeto, do deputado Aureo Ribeiro (SD-RJ), que propôs o pagamento do 14º até 2023. Outra mudança foi a inclusão do 14º para pessoas que recebem auxílio-doença e auxílio-acidente. O projeto original previa o abono apenas para aposentados e pensionistas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos