Mercado abrirá em 9 h 10 min
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,46
    0,00 (0,00%)
     
  • OURO

    1.763,10
    -3,70 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    63.127,97
    +35,77 (+0,06%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.402,13
    +21,18 (+1,53%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    6.983,50
    +43,92 (+0,63%)
     
  • HANG SENG

    28.836,98
    +43,84 (+0,15%)
     
  • NIKKEI

    29.740,24
    +97,55 (+0,33%)
     
  • NASDAQ

    13.975,25
    -38,75 (-0,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7150
    -0,0061 (-0,09%)
     

Após morte de Major Olímpio, Bolsonaro cancela solenidade no Congresso

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Bolsonaro cancelou solenidade
Bolsonaro cancelou solenidade
  • Major Olímpio morreu nesta quinta-feira, vítima de Covid-19

  • Bolsonaro decidiu cancelar entrega de duas MPs no Congresso Nacional

  • Major se tornou desafeto de Bolsonaro recentemente, após anos de aliança

A morte do senador Major Olímpio, por Covid-19, fez com que Jair Bolsonaro (sem partido) cancelasse a solenidade da qual participaria nesta quinta-feira. O presidente entregaria pessoalmente ao Congresso Nacional duas medidas provisórias do auxílio emergencial, em ato simbólico.

“Está cancelada a ida do Presidente ao Congresso. As medidas provisórias do Auxílio Emergencial seguirão por trâmites administrativos”, limitou-se a informar a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) no Twitter.

Leia também:

Major Olímpio foi aliado de Bolsonaro e surfou na onda do atual presidente até ser eleito senador por São Paulo em 2018, pelo PSL, ao lado de Mara Gabrilli (PSDB).

Nos últimos tempos, porém, Major tornou-se mais um desafeto de Bolsonaro. Após denúncias de corrupção contra o presidente e seus filhos, o senador rompeu relações e passou a criticá-lo publicamente.

Bolsonaro (esquerda) e Major Olímpio (direita) foram aliados por anos - Foto: Pedro Ugarte/AFP via Getty Images
Bolsonaro (esquerda) e Major Olímpio (direita) foram aliados por anos - Foto: Pedro Ugarte/AFP via Getty Images

"O que eu estou enojado é com comportamentos que ele adotou e vem adotando. Adotou comigo. Essa negociação com o Centrão por cargos, essa safadeza que nós tanto lutamos contra", disse Olímpio sobre Bolsonaro em áudio vazado em maio de 2020.

Carreira na política

Policial Militar, Olímpio entrou na política em 2006, ao se filiar ao PP. Ao longo do tempo, passou por diversas legendas, como PV, PDT, PMB, Solidariedade, até chegar ao PSL, em 2018. Entre 2007 e 2015, o militar ocupou o cargo de deputado estadual por São Paulo. Em 2015, assumiu o posto de deputado federal, e em 2018, foi eleito senador.

Ele informou ter contraído a Covid-19 no dia 2 de março e, com o agravamento do caso, teve de ser internado na UTI. Sua morte foi confirmada na tarde desta quinta-feira em comunicado assinado pela família.