Mercado abrirá em 3 h 23 min

Após frustração em 2019, Palmeiras aposta as fichas em suas “crias da academia”

Elenco do Palmeiras terá jovens como Gabriel Veron e Patrick de Paula (Cesar Greco/Ag. Palmeiras)

Por Ricardo Assis (@RicardoWAAssis)

Após uma temporada frustrante em que o alto investimento não se traduziu em títulos ou bom desempenho no gramado, o Palmeiras prepara a sua primeira grande reformulação do elenco após a retomada financeira de 2015. Após o título brasileiro de 2018, o clube buscou investir ainda mais pesado em busca da tão sonhada Libertadores. O título não veio e, com isso, o clube fechou o ano com cerca R$ 35 milhões de déficit. Com saídas de diversos jogadores de rotação, o Palmeiras busca aliviar a folha de pagamento e também dar espaço à sua vitoriosa base. Em 2019, apesar dos 34 títulos nas categorias inferiores, o Palmeiras foi a equipe que menos utilizou jogadores prata da casa no campeonato brasileiro. Criticado internamente e também pela torcida por conta dessa postura, o clube mudou radicalmente de atitude e promoveu nove atletas da base ao elenco principal.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM
SIGA O YAHOO ESPORTES NO FLIPBOARD

Com isso, o Palmeiras adota uma postura diferente no mercado de transferências. Ciente de que conta com um dos melhores elencos do país, o alviverde apenas irá ao mercado em busca de contratações pontuais e jogadores para a equipe titular. Até o momento (22 de janeiro), o Palmeiras não anunciou nenhuma contratação, mas já se despediu de doze jogadores. E outros, como Jean e Guerra, também estão perto de sair. Com isso, atletas como Vinícius Silvestre, Pedrão, Esteves, Gabriel Menino, Patrick de Paula, Alanzinho, Gabriel Veron, Wesley e Ivan Angulo ganham espaço na equipe principal.

Gabriel Verón é provavelmente o mais conhecido do torcedor palmeirense, pelo ótimo desempenho no mundial sub-17. No entanto, jogadores como Vinicius, Gabriel Menino e Alanzinho também contam com passagens pelas seleções de base. Em comum, todos os atletas tiveram uma trajetória vitoriosa pelas categorias inferiores do Palmeiras, que vêm, junto ao Flamengo, dominando o cenário nacional nos últimos anos.

Leia também:

Desses nove, destacamos quatro que contam com maior chance de serem utilizados em 2019. Acredito que estes, pelo talento e carências do elenco, terão uma minutagem maior. Esteves irá disputar posição com Diogo Barbosa e Victor Luís que, até o momento, não convenceram com a camisa alviverde. Com as saídas de Thiago Santos e Matheus Fernandes, e a migração de Felipe Melo para a zaga, Patrick de Paula e Gabriel Menino devem ser utilizados com certa frequência. Gabriel Verón, embora pouco testado no futebol profissional, foi muito bem nas oportunidades que teve, e é certamente o jogador pelo qual a torcida palmeirense tem maior expectativa.

O atacante chama a atenção já há alguns anos, e está acostumado a pular etapas. Com apenas 15 anos, Gabriel Verón foi campeão, artilheiro e melhor jogador do Mundial de clubes sub-17. Apesar de ter apenas 17 anos, Verón atua pelo sub-20 do Palmeiras desde 2018. O atacante, que tem como ídolo declarado o companheiro Dudu, costuma jogar pelos lados do campo e tem como principais características a velocidade, força e habilidade. Extremamente veloz e eficaz no 1x1, não parece ter sentido a diferença física do profissional em suas primeiras aparições. No entanto, Verón ainda tem alguns pontos a melhorar. Até pela pouca idade, é possível perceber um pouco de afobação e escolhas equivocadas nas jogadas. Tanto na base como no profissional, busca sempre acelerar o jogo, até mesmo em momentos que isso não é necessário. A tendência é que, com tempo e trabalho, o nervosismo e ansiedade passem e isso se regularize. 

Patrick de Paula e Gabriel Menino são atletas com valores parecidos. Volantes modernos, passam do momento defensivo ao ataque com facilidade. Patrick chegou a jogar como meia no começo de sua carreira na base, mas foi como primeiro volante que se encontrou. Dotado de boa técnica e um bom chute de longa e média distância, pode ser uma arma importante para furar defesas fechadas. No entanto, até mesmo pelo seu porte físico avantajado, é um jogador com menor explosão e que busca cadenciar mais o jogo. Gabriel Menino joga um pouco à frente, como segundo volante. É um atleta extremamente participativo e intenso com e sem a bola nos pés e, assim como Patrick de Paula, costuma subir bastante ao ataque. Com os dois juntos, é preciso encontrar um ponto de equilíbrio para não desestruturar o setor do meio de campo.

A lateral esquerda é um setor que vem preocupando o torcedor palmeirense já há algum tempo. Desde a reformulação de 2015 muitos passaram pela posição, mas ninguém se firmou. Aproveitando essa inconstância da competição, Esteves pode sonhar com a vaga de titular. Rápido, forte e com boa participação na fase ofensiva, o lateral pode ser uma válvula de escape para a equipe de Vanderlei Luxemburgo. Para se consolidar, no entanto, terá de melhorar sua recomposição defensiva. Em muitos momentos na categoria de base, Lucas atuou como uma espécie de ponta pela esquerda. Em um futebol mais competitivo e dinâmico, será preciso uma maior consciência defensiva.

O goleiro Vinícius Silvestre deve ter vida mais difícil. Competindo por vaga com o selecionável Weverton e o experiente Jaílson, é improvável que venha a ter oportunidades. Pedrão também terá bastante competição, ainda mais com a transição de Felipe Melo para o setor. No momento, o jovem zagueiro é apenas o quinto na fila, atrás de Gomez, Felipe Melo, Vitor Hugo e Luan.

Alanzinho, Wesley e Ivan Angulo provavelmente terão uma minutagem maior do que os últimos dois citados. Com uma técnica excelente e uma visão de jogo privilegiada, o meia Alan Guimarães sempre foi um dos destaques na categoria de base. Foi um dos garotos que melhor aproveitou a oportunidade durante a Flórida Cup, ao lado de Gabriel Menino e Wesley. Para se firmar no profissional, no entanto, terá de se adaptar ao jogo mais físico do profissional. Apesar do grande talento, trata-se de um atleta muito franzino, que pode ter problemas para aguentar a intensidade do jogo profissional. 

Já testado no futebol profissional, o ponta Wesley mostrou potencial atuando pelo Vitória em 2019. Apesar da fraca campanha da equipe baiana, que apenas lutou contra o rebaixamento (terminou a série B em 12º lugar), Wesley terminou o campeonato com bons números. Em 28 jogos, o ponta anotou cinco gols, deu três assistências e foi um dos líderes da equipe em dribles, com 2,8 por jogo. Acostumado a jogar pelos dois lados do campo, pode trazer mais versatilidade e velocidade ao ataque palmeirense. Assim como Verón, no entanto, tende a ser um pouco individualista, e ainda precisa aprender a cadenciar mais o jogo.

Ivan Angulo foi contratado em definitivo pelo Palmeiras em junho de 2019 após ótimo rendimento pelas categorias de base no início do ano. O clube tinha a expectativa de promovê-lo ao profissional ainda no ano passado, mas a crise esportiva do Palmeiras após a Copa América acabou adiando o projeto. Assim como Wesley e Veron, é um jogador de velocidade e com boa capacidade de drible. Diferentemente dos dois, prefere atuar pelo lado direito, buscando driblar em velocidade para a linha de fundo. É um atleta com grande potencial, mas que já apresentou inconstância nas categorias de base. O ponta teve uma queda de desempenho no segundo semestre de 2019 e, em muitos jogos, foi relegado ao banco de reservas.

A safra vitoriosa do clube finalmente irá receber o espaço que merece no Palmeiras. É normal que a torcida se empolgue, mas também é preciso que a mesma tenha paciência. Os atletas são novos e irão oscilar em diversos momentos. Isso faz parte do processo de amadurecimento. Acostumados com títulos nos últimos anos e extremamente exigente, os palmeirenses terão que mudar a postura diante dos jovens jogadores, para não queimá-los. O futuro dessa geração parece brilhante, mas é importante que o clube, torcida e comissão técnica os abracem.  

Siga o Yahoo Esportes

Twitter | Flipboard | Facebook | Spotify | iTunes | Playerhunter