Mercado fechará em 1 h 35 min
  • BOVESPA

    108.574,36
    +637,25 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.495,43
    -395,16 (-0,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,12
    +1,81 (+2,17%)
     
  • OURO

    1.848,60
    +6,90 (+0,37%)
     
  • BTC-USD

    37.327,03
    +2.863,94 (+8,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    846,68
    +26,09 (+3,18%)
     
  • S&P500

    4.340,48
    -69,65 (-1,58%)
     
  • DOW JONES

    34.119,69
    -244,81 (-0,71%)
     
  • FTSE

    7.371,46
    +74,31 (+1,02%)
     
  • HANG SENG

    24.243,61
    -412,85 (-1,67%)
     
  • NIKKEI

    27.131,34
    -457,03 (-1,66%)
     
  • NASDAQ

    14.105,50
    -395,50 (-2,73%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1656
    -0,0631 (-1,01%)
     

Após episódio com flexões, presidente da Caixa é notificado por assédio

·2 min de leitura
Pedro Guimaraes
Documento pontua que a situação causou “constrangimento no trabalho” e que pode configurar assédio moral

(REUTERS/Amanda Perobelli)

  • Ministério Público do Trabalho notifica Pedro Guimarães

  • Medida foi tomada após episódio em que ele submete funcionários a flexões de braço

  • Denúncia foi feita pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo

O Ministério Público do Trabalho (MPT) notificou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, após o episódio em que ele obriga funcionários a realizarem flexões durante um evento de fim de ano em São Paulo.

O documento, enviado nesta quinta-feira (16), pontua que a situação causou “constrangimento no trabalho” e que pode configurar assédio moral, conforme divulgado pelo portal Poder360.

Leia também:

“Recomenda ao senhor Pedro Duarte Guimarães, que na condição de presidente da Caixa Econômica Federal, abstenha-se de submeter os empregados do banco a flexões de braço e outras situações de constrangimento no trabalho ou dele recorrente sob pena de instauração de procedimento investigatório e adoção de medidas administrativa e judiciais cabíveis”, escreveu o procurador Paulo Neto.

A denúncia ao MPT foi feita pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, que se uniu a outras entidades representativas. Em nota, o sindicato critica o que chama comportamento abusivo de Pedro Guimarães, “sob ordens do governo federal”.

Segundo a entidade, “o mais recente episódio de assédio moral” cometido por Guimarães aconteceu no evento, onde o presidente pôs funcionários para fazerem flexões.

Episódio

O evento aconteceu nesta terça-feira (14), no Bourbon Atibaia Resort. No vídeo divulgado, Pedro Guimarães aparece convocando o alto escalão do banco a fazer flexões em um palco.

As imagens iniciais são de uma funcionária estimulada a dar uma estrela sob comando de uma criança que, aparentemente, é ginasta. Ela não consegue e é substituída por um segundo funcionário que também desiste. Por fim, um terceiro executa o movimento de forma atabalhoada.

Em outra cena, já no final do vídeo, Guimarães chama alguns executivos para fazerem flexões. Ele conta até a décima flexão, quando interrompe a série.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos