Mercado abrirá em 3 h 12 min
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,64
    -0,13 (-0,25%)
     
  • OURO

    1.854,20
    -1,00 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    31.899,89
    -468,40 (-1,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    645,86
    -31,04 (-4,58%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.667,15
    +28,30 (+0,43%)
     
  • HANG SENG

    29.391,26
    -767,75 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.546,18
    -276,11 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.434,00
    -41,50 (-0,31%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6920
    +0,0558 (+0,84%)
     

Após dizer que Brasil está quebrado, Bolsonaro ironiza e diz que país está "uma maravilha"

·1 minuto de leitura
Brazil's President Jair Bolsonaro hods his pen during the swearing-in ceremony of the Brazil's Tourism Minister Gilson Machado, amidst the Coronavirus (COVID - 19) pandemic at Planalto Palace on December 17, 2020 in Brasilia. (Photo by Andre Borges/NurPhoto via Getty Images)
Presidente se reuniu com ministros nesta quarta-feira, 6 (Foto: Andre Borges/NurPhoto via Getty Images)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a comentar sobre a declaração dada na última terça-feira, 5, sobre o Brasil estar “quebrado”. A apoiadores, em frente ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro ironizou a situação do país:

“Confusão ontem, viu? Que eu falei que o Brasil estava quebrado? Não, o Brasil está bem, está uma maravilha”, disse.

Após dizer que “o Brasil está quebrado. Eu não consigo fazer nada”, Bolsonaro se reuniu com o ministro da Economia, Paulo Guedes, que estava de férias. Ele compareceu a uma reunião ministerial extraordinária nesta quarta-feira, 6.

Guedes defendeu a fala do presidente e afirmou que Bolsonaro se referia ao setor público. “Ele está se referindo, evidentemente, à situação do setor público, que está numa situação financeira difícil. Porque, depois dos excessos de gastos cometidos por governos anteriores, quando chegou o primeiro governo falando que vai cortar forte, foi fulminado pela pandemia”, tentou explicar.

Leia também

“Nós estamos reconhecendo a dificuldade da situação, mas decididos a enfrentar. Nós vamos seguir com as reformas estruturais. Foi só isso”, disse o ministro.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, criticou a fala de Bolsonaro. Maia chamou o governo de incompetente e negou que o Brasil esteja “quebrado”, como foi dito pelo presidente. Os dois medem forças na disputa pela presidência da Câmara dos Deputados. Baleia Rossi (MDB-SP), candidato de Maia, concorrerá contra Arthur Lira (PP-AL), apoiado por Bolsonaro.