Mercado abrirá em 6 h 4 min
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.220,83 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,61 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,56
    +1,06 (+1,72%)
     
  • OURO

    1.753,40
    +24,60 (+1,42%)
     
  • BTC-USD

    45.891,58
    +984,86 (+2,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    916,46
    -16,67 (-1,79%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,63 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    29.382,21
    +402,00 (+1,39%)
     
  • NIKKEI

    29.663,50
    +697,49 (+2,41%)
     
  • NASDAQ

    13.061,75
    +150,75 (+1,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7624
    +0,0041 (+0,06%)
     

Após decreto que libera mais armas, Bolsonaro diz que “povo está vibrando”

·1 minuto de leitura
Brazilian President Jair Bolsonaro gestures during the Launch of the
Presidente Jair Bolsonaro assinou decretou na última sexta-feira, 12 de fevereiro (Foto: Evaristo Sá/AFP via Getty Images)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse que “o povo tá vibrando” com os novos decretos, assinados por ele, que liberam ainda mais o acesso a armas de fogo. A declaração foi feita pelo presidente em São Francisco do Sul, em Santa Catarina. Bolsonaro está no Forte Marechal com a Família.

Na última sexta-feira, 12, foram publicados quatro decretos para facilitar o acesso a armas de fogo. Entre as novas medidas está a ampliação do número de armas que cada cidadão pode ter. Antes, o limite era de 4 e subiu para 6.

Segundo o Palácio do Planalto, o objetivo da medida é desburocratizar procedimentos, aumentar a clareza sobre a regulamentação, reduzir discricionariedade de autoridades e dar garantia de contraditório e ampla defesa.

Entre as novas medidas também está o aumento da quantidade de recargas e cartucho de calibre restrito que podem ser adquiridos por praticantes de tiro esportivo a cada ano. Antes, o limite era de 1 mil e subiu para 2 mil. Além disso, comerciantes de armas de pressão não precisam mais de registros dados pelo Exército. Os novos decretos entram em vigor em 60 dias.