Mercado abrirá em 4 h 30 min

Após 68 anos detido e sentenciado a prisão perpetua, norte-americano consegue sair da cadeia

·1 minuto de leitura
Business Man holding handcuffs after releasing over sunset background. Freedom and Burden-free concept
Business Man holding handcuffs after releasing over sunset background. Freedom and Burden-free concept

Aos 15 anos, Joe Ligon foi preso por participação em roubos e agressões, que levaram dois idosos a morte. O norte-americano foi sentenciado a prisão perpetuaa e passou 68 anos preso. Aos 83 anos, ele conseguiu o direito a liberdade condicional.

Ligon, um homem negro, negou que tenha participado das mortes, mas assumiu que ajudou nos roubos, praticados por adolescentes alcoolizados.

Leia também

Ao jornal The Philadelphia Inquirer, ele explicou que, com a liberdade condicional, precisa encontrar autoridades com alguma frequência. “Você não pode deixar a cidade sem permissão da liberdade condicional. Isso é parte da liberdade para mim”, relatou.

Ligon já havia recebido a oferta da liberdade condicional, mas, na ocasião, entendeu que isso não era ser “livre de verdade”. Agora, mudou de ideia.

O processo para conseguir deixar a prisão começou em 2017, quando a pena de Joe Ligon foi mudada e passou de perpetua para “35 anos a perpetua”. Como já havia cumprido os 35 anos, ganhou o direito de pedir a liberdade condicional. A mudança aconteceu quando a Suprema Corte dos Estados Unidos decidiu que sentenciar crianças a prisão perpetua era incomum, além de cruel.

Foi em 11 de janeiro que Joe Ligon conseguiu ser livre. Na entrevista ao The Philadelphia Inquirer, ele lamentou que os pais e o irmão não tenham vivido para vê-lo fora da cadeira. O norte-americano acredita que conseguirá se adaptar ao mundo fora da cela e, para isso, assistiu noticiários na televisão e acompanhou o que acontecia em todo o mundo.