Mercado fechará em 23 mins

Apoiadores criaram mais de 20 vaquinhas virtuais para ajudar agressor de Bolsonaro

PM/Divulgação

O ataque sofrido pelo candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) chamou a atenção de muita gente e despertou inúmeras críticas, mas também alguns elogios. Um levantamento realizado pelo Estadão mostra que em menos de quatro dias do ocorrido, mais de 20 vaquinhas virtuais foram criadas para auxiliar Adelio Bispo de Oliveira, o homem que deu uma facada em Bolsonaro.

Entre as campanhas de financiamento, há opções para pagamento dos advogados e até para a construção de uma estátua do homem. Diante do ocorrido, os sócios do site Vaquinha, um dos mais conhecidos no país com essa finalidade, decidiram bloquear as vaquinhas. Segundo a empresa, as campanhas “não estão alinhadas com os termos de uso da página”.

Nas vaquinhas era possível contribuir com de R$ 2 a R$ 30 mil. O site afirma que tanto as vaquinhas contra quanto as pró Adelio foram excluídas do site antes mesmo de começarem a arrecadar fundos. Um dos advogados do agressor informou que recebeu mensagens no WhatsApp de muitas pessoas que queriam doar dinheiro para o pagamento das despesas do homem, mas ele negou as ofertas.