Mercado fechado
  • BOVESPA

    115.202,23
    +2.512,05 (+2,23%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.342,54
    +338,35 (+0,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,28
    +2,45 (+3,84%)
     
  • OURO

    1.698,20
    -2,50 (-0,15%)
     
  • BTC-USD

    48.234,17
    +1.074,15 (+2,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    982,93
    +39,75 (+4,21%)
     
  • S&P500

    3.841,94
    +73,47 (+1,95%)
     
  • DOW JONES

    31.496,30
    +572,16 (+1,85%)
     
  • FTSE

    6.630,52
    -20,36 (-0,31%)
     
  • HANG SENG

    29.098,29
    -138,50 (-0,47%)
     
  • NIKKEI

    28.864,32
    -65,78 (-0,23%)
     
  • NASDAQ

    12.652,50
    +197,50 (+1,59%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7780
    -0,0079 (-0,12%)
     

Aplicativos falsos seguem fazendo dinheiro na App Store, diz desenvolvedor

Felipe Ribeiro
·2 minuto de leitura

Aplicativos falsos são um problema que tanto Apple quanto Google seguem enfrentando em suas lojas. Pelo lado da Maçã, esses apps seguem dando lucro a seus publicadores, com inúmeros tipos de golpes executados. Segundo um desenvolvedor, as quantias obtidas podem chegar a US$ 2 milhões ao ano em determinados casos.

De acordo com Kosta Eleftheriou, desenvolvedor do app FlickType Apple Watch, ele mesmo passou por isso com criminosos clonando seu programa e angariando dinheiro das pessoas. O detalhe é que esses apps falsos simplesmente não funcionam, mas, sem o alerta, muitos clientes da App Store acabam caindo no golpe.

Ele explica que esses programadores usam algorítimos para inundar as contas de Instagram e Facebook das pessoas com anúncios, que seriam idênticos aos usados por Eleftheriou. No entanto, ao clicar nesses anúncios para baixar o app, as pessoas precisavam pagar uma quantia bem baixa, para desbloquear as funções de um programa que, claro, nem funcionaria.

De acordo com Eleftheriou, existem vários clones de seu aplicativo FlickType, mas um dos mais claros roubos foi feito pelo "KeyWatch", que foi lançado com uma interface em branco e um botão "Desbloquear agora". Tocar nesse botão solicitou aos usuários que confirmassem uma assinatura de US$ 8 por semana para um aplicativo que não faz nada.

De acordo com Eleftheriou, o golpe alcançou proeminência na App Store ao enganar o sistema de classificação algorítmica da Apple por meio da compra de classificações falsas e avaliações cinco estrelas, que o colocaram no topo de sua categoria de aplicativos.

Desde então, a Apple removeu o aplicativo falso da App Store, embora a conta do desenvolvedor responsável por vários aplicativos fraudulentos permaneça ativa. Eleftheriou diz que antes de o KeyWatch ser retirado do ar, os desenvolvedores arrecadaram quase US$ 2 milhões por ano antes dessa exposição.

A Apple ainda não se pronunciou sobre o caso.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: