Mercado fechado

Apesar de queda, preço da gasolina segue acima do mercado internacional

De acordo com a Abicom, o valor da gasolina só atingiria a paridade se houvesse uma redução de R$ 0,17 por litro (Getty Creative)
De acordo com a Abicom, o valor da gasolina só atingiria a paridade se houvesse uma redução de R$ 0,17 por litro (Getty Creative)
  • Valor que o brasileiro paga na gasolina segue acima do praticado no mercado internacional

  • Preço da gasolina encareceu em 17 dos 21 países que compõem o continente americano no primeiro semestre deste ano

  • Preço da gasolina só atingiria a paridade se houvesse uma redução de R$ 0,17 por litro

Apesar dos sucessivos anúncios de queda nos preços dos combustíveis e da fiscalização em alguns estados por parte dos Procons, o valor que o brasileiro paga na gasolina segue acima do praticado no mercado internacional.

De acordo com a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), o valor da gasolina só atingiria a paridade se houvesse uma redução de R$ 0,17 por litro. No início do mês, a mesma entidade avaliou que, para zerar a defasagem em relação aos preços internacionais, o óleo diesel precisaria ter um reajuste de pelo menos 5%.

Segundo o Estadão, "o preço do combustível caiu em média 6,5% na semana de 10 a 16 de julho, para R$ 6,07 o litro, sendo o mais caro (R$ 8,10) encontrado em Tefé, no Amazonas, e o mais barato (R$ 5,15) em Macapá, no Amapá".

O preço da gasolina encareceu em 17 dos 21 países que compõem o continente americano no primeiro semestre deste ano. Os dados foram obtidos por um levantamento da Picodi, plataforma global de cupons, e se baseiam nos dados oficiais de cada União.

No ranking, o Brasil aparece em 15º lugar. No período, foi registrada uma alta de 9,7% no combustível, segundo a ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), devido aos reajustes da Petrobrás e aumento nos preços do petróleo por conta da guerra entre Rússia e Ucrânia.

Com relação ao preço absoluto da gasolina, pago pelo consumidor, o Brasil está em 7º lugar, com o litro saindo por cerca de US$ 1,30 em julho. Em primeiro lugar, aparece o Uruguai, com o litro custando US$ 2,02. Os preços mais baratos são encontrados na Bolívia (US$ 0,54/ litro) e Colômbia (US$ 0,61/ litro).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos