Mercado abrirá em 7 h 15 min
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,38
    -0,59 (-0,82%)
     
  • OURO

    1.750,80
    -0,60 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    45.746,30
    -2.223,07 (-4,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.143,08
    -82,45 (-6,73%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.112,16
    -808,60 (-3,24%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.249,50
    -76,50 (-0,50%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1899
    -0,0095 (-0,15%)
     

Mercado de trabalho deve se recuperar de forma gradual no Brasil

·2 minuto de leitura
Mulher de máscara escolhendo bolsas
Setor de serviços foi o que mais se destacou (Getty Commercial)
  • Agosto foi o mês com melhor pontuação no índice que antecipa os rumos do mercado de trabalho 

  • Apesar disso, alta perdeu força e especialista da FGV afirma que recuperação deve ser gradual

  • De acordo com economista, controle da pandemia e melhora no setor de serviços são fundamentais

Dados divulgados nesta quarta-feira, 8, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostram que agosto foi o quinto mês consecutivo com alta na recuperação de empregos, iniciada com as medidas de flexibilização pós segunda onda de Covid-19.

O Indicador Antecedente do Emprego (IAEmp), que antecipa os rumos do mercado de trabalho no Brasil, atingiu 90,1 pontos – o maior nível desde fevereiro de 2020. Entretanto, especialista alega que a recuperação deve ser gradual.

Leia também: 

“O IAEmp avança pelo quinto mês consecutivo e se aproxima do nível pré pandemia. Após o impacto da segunda onda de Covid, o movimento iniciado de flexibilização desde então parecem ter contribuído para a retomada do mercado de trabalho. O resultado mais tímido do indicador nesse mês sugere que essa recuperação ainda deve ser gradual”, afirma Rodolpho Tobler, economista do FGV IBRE.

O resultado tímido que Tobler se refere tem a ver com a variação da alta sobre o mês anterior. Apesar de agosto ter obtido a melhor pontuação, subiu apenas 0,9 com relação a julho – contrariando a alta de 1,6 de julho, 4,2 em junho, 4,7 em maio e 1,6 em abril.

Para o economista, “o controle da pandemia e a melhora do setor de serviços, setor que mais emprega, são fundamentais para a continuidade desse cenário positivo”. O IAEmp é formado pela análise de sete componentes, extraídos das Sondagens da Indústria, de Serviços e do Consumidor, e relaciona-se com o nível de emprego no país.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos