Mercado fechará em 3 h 12 min
  • BOVESPA

    107.966,79
    -754,79 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.302,55
    -746,50 (-1,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,54
    +1,43 (+1,93%)
     
  • OURO

    1.885,70
    +6,20 (+0,33%)
     
  • BTC-USD

    22.954,65
    +128,18 (+0,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    527,56
    +1,60 (+0,31%)
     
  • S&P500

    4.102,31
    -8,77 (-0,21%)
     
  • DOW JONES

    33.759,98
    -131,04 (-0,39%)
     
  • FTSE

    7.847,29
    +10,58 (+0,14%)
     
  • HANG SENG

    21.298,70
    +76,54 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    27.685,47
    -8,18 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    12.518,25
    +2,75 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5485
    +0,0292 (+0,53%)
     

Apesar da inflação, Uber bate recorde no número de usuários e motoristas

Resultados do segundo trimestre, encerrado em junho, foram bastante positivos (Getty Images)
Resultados do segundo trimestre, encerrado em junho, foram bastante positivos

(Getty Images)

  • Uber bate recorde no número de usuários mensais e motoristas parceiros;

  • Empresa teve, pela primeira vez na história, fluxo de caixa positivo;

  • Faturamento e movimentação financeira também superaram as expectativas.

Apesar da inflação alta, a Uber bateu recorde no número de usuários na plataforma, com 122 milhões de pessoas solicitando os serviços da empresa por mês. A quantidade superou as expectativas do mercado, que projetava 120,5 milhões de usuários. A informação consta nos resultados financeiros do segundo trimestre, encerrado em junho, divulgados pela plataforma nesta terça-feira (2).

A quantidade de motoristas e entregadores também é a mais alta da história, batendo 5 milhões de parceiros. Embora os analistas temam que a alta nos combustíveis afaste os profissionais, mais de 70% dos aceitos recentemente passaram a trabalhar com a Uber para obter ganho extra em meio à inflação e alto custo de vida.

De forma geral, os resultados da empresa foram bastante positivos e surpreenderam o mercado. Nos três meses analisados, o faturamento do grupo dobrou para US$ 8,1 bilhões, superando as previsões dos analistas, de US$ 7,4 bilhões.

Também houve recorde na movimentação financeira com corridas e entregas de comida e encomendas, responsáveis por girar US$ 29,1 bilhões - um avanço de 33%. "No último trimestre, desafiamos o nosso time a bater as metas de lucro ainda mais rápido do que planejamos, e entregamos", afirmou o CEO da empresa, Dara Khosrowshahi, em comunicado.

Pela primeira vez, a empresa teve fluxo de caixa positivo, de US$ 382 milhões, e novamente contrariou as projeções dos analistas, que esperavam US$ 263 milhões. Fechando com chave de ouro, a Uber também afirmou ter superado os patamares de corridas e entregas do pré-pandemia, graças à reabertura dos escritórios e demanda por viagens de turismo.