Apesar da crise, setor de luxo cresce 15% na Espanha

Madri, 25 dez (EFE).- O setor de produtos e serviços de luxo espanhol fechará o ano com um faturamento de 4,790 bilhões de euros, um aumento de 15% em comparação com 2011.

Este forte avanço contrasta com a queda generalizada do consumo pela crise na Espanha e se apoia no sucesso destes artigos entre os turistas estrangeiros.

Segundo Cristina Martín, presidente executiva da associação Luxury Spain, em 2011, o setor vendeu 20% mais graças a sua internacionalização, uma tendência que se reforçou em 2012 e que continuará em 2013, ano para o qual se prevê um incremento do negócio de entre 10% e 15%.

"A Espanha é exportadora de luxo. 40% do faturamento das empresas espanholas se deve à venda internacional", acrescentou Cristina à Agência Efe, explicando que o consumidor estrangeiro gosta dos produtos espanhóis e cada vez viajam mais à Espanha na busca por sua "qualidade e tradição".

No entanto, segundo Cristina, 55% dos turistas que visitam o país ainda preferem marcas internacionais, já que na Espanha os preços são inferiores e, além disso, os residentes de fora da União Europeia podem recuperar o valor correspondente ao IVA graças aos preços livres de impostos.

Segundo as previsões da empresa de consultoria Bain & Company, as vendas totais de produtos de luxo na Espanha (nacionais e internacionais) mantiveram-se estáveis em 2011 em relação a 2010, enquanto este ano cairão 6%, lastradas pela crise.

Na Espanha, os artigos que melhor funcionam são os relacionados com a gastronomia e a beleza, segmentos que aglutinam 60% das vendas totais de serviços e produtos de luxo espanhóis, seguidos do turismo e dos serviços de qualidade.

A moda e os acessórios, como a joalheria e a indústria dos artigos de couro, são dois setores que cada vez ganham mais peso dentro do setor de luxo, comentou Cristina Martín.

Atualmente, a Espanha é o quinto país do mercado do luxo dentro da União Europeia, atrás de França, Itália, Reino Unido e Alemanha, mas pode crescer mais, segundo Cristina.

A presidente da Luxury Spain destacou que em países como França e Itália, nos quais grande parte da economia se baseia no luxo, seus respectivos Governos ajudaram às empresas a internacionalizar suas marcas e por isso os consumidores preferem comprar uma bolsa francesa à outra fabricada na Espanha, apesar da qualidade da pele espanhola.

A Luxury Spain nasceu em maio de 2011 para agrupar empresas de todos os setores a fim de impulsionar sua promoção, tanto dentro como fora da Espanha, assim como para proteger e defender a imagem das marcas. EFE

Carregando...