Mercado fechará em 3 h 52 min
  • BOVESPA

    108.650,44
    +1.271,52 (+1,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.481,36
    +214,16 (+0,51%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,46
    +1,40 (+3,25%)
     
  • OURO

    1.803,30
    -34,50 (-1,88%)
     
  • BTC-USD

    19.344,55
    +892,59 (+4,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    381,12
    +11,37 (+3,08%)
     
  • S&P500

    3.610,50
    +32,91 (+0,92%)
     
  • DOW JONES

    29.966,06
    +374,79 (+1,27%)
     
  • FTSE

    6.415,17
    +81,33 (+1,28%)
     
  • HANG SENG

    26.588,20
    +102,00 (+0,39%)
     
  • NIKKEI

    26.165,59
    +638,22 (+2,50%)
     
  • NASDAQ

    11.913,25
    +8,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3993
    -0,0410 (-0,64%)
     

Apagão no Amapá: Sem reestabelecimento da energia, haverá crise alimentar, diz Randolfe Rodrigues

Anita Efraim
·2 minuto de leitura
Andre Guimaraes (IPAM),Randolfe Rodrigues(Brazilian Senator)
Senador Randolfe Rodrigues está no Amapá e descreveu cenário caótico (Foto: Getty Images)

Senador pelo Amapá, o senador Randolfe Rodrigues (Rede) está em Macapá e relatou que a situação na capital é de caos e o cenário similar ao de uma guerra. Há três dias o estado está sem energia elétrica, após uma grande tempestade. Ele acredita que, sem o reestabelecimento de energia ainda nesta sexta-feira, 6, poderá haver uma crise alimentar no estado.

“Internet não existe no estado. Ontem o sistema de abastecimento de água da capital e de 14 dos 16 municípios também colapsou”, relatou Randolfe em entrevista à CBN. “Comerciantes no geral estão tendo enormes prejuízos. Produtos perecíveis já estragaram.”

Segundo Randolfe, o calor está impedindo as pessoas de dormirem na capital. “Macapá é uma cidade muito quente e úmida e ainda estamos no âmbito do calor amazônico, então, a noite é muito quente. As pessoas têm que dormir muitas das vezes em frente as suas casas.”

“São três dias de caos, é um cenário de guerra que eu observo aqui no eu estado”, descreveu. Segundo o senador, a previsão do ministério de Minas e Energia era de que na última quinta-feira, 5, a energia voltaria parcialmente até cerca de 19h, mas não aconteceu.

Ainda assim, quando a energia for reestabelecida, será de 60% ou 70% da capacidade elétrica. “Depois, terão mais 15 dias de racionamento”, explicou. Ao todo, 14 cidades sofrem com o apagão. O Amapá tem 800 mil habitantes e 96% deles estão sendo afetados pela crise energética.

O senador relatou que, de acordo com o ministério de Minas e Energia, a única solução possível é o reparo de três transformadores, que foram danificados pela chuva. Os aparelhos ficavam em um centro de distribuição que fornece energia para todo o estado.

O primeiro é o que está sendo consertado e reestabelecerá cerca de 60% da energia do estado. O segundo deve demorar 15 dias e, por isso, haverá racionamento. O terceiro, que funcionaria como backup, levará ainda 30 dias para chegar ao Amapá.

Leia também

Com a chuva, dois dos transformadores foram avariados. O terceiro, que deveria servir como backup, estava em manutenção há seis meses, segundo o senador.

“Não tenho dúvida de que teve uma gravíssima negligência por parte da empresa espanhola, que é responsável pela estação, terceirizada das centrais elétricas do norte do Brasil, e houve uma grave omissão da agência nacional de energia elétrica, que deveria fiscalizar isso”, disse Randolfe.

O senador ainda afirmou que, caso não seja reestabelecida parte da distribuição de energia, haverá um colapso na alimentação no estado.

Às 11h o senador vai protocolar uma ação na Polícia Federal pedindo que os governos garantam fornecimento de água, cestas básicas, abertura de um inquérito por parte da PF para apurar as responsabilidades do operador nacional do sistema, da agência nacional de energia elétrica e da empresa espanhola Isolux.