Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,50 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.683,55
    -126,66 (-0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    51,98
    -1,15 (-2,16%)
     
  • OURO

    1.855,50
    -10,40 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    32.055,52
    -603,16 (-1,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    651,44
    +41,45 (+6,79%)
     
  • S&P500

    3.841,47
    -11,60 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.996,98
    -179,03 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.695,07
    -20,35 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    29.447,85
    -479,91 (-1,60%)
     
  • NIKKEI

    28.631,45
    -125,41 (-0,44%)
     
  • NASDAQ

    13.355,25
    -40,25 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6542
    +0,1458 (+2,24%)
     

Após vencer leilão de transmissão, Mez Energia prevê expandir atuação no setor

·2 minuto de leitura
Linhas de transmissão de energia

SÃO PAULO (Reuters) - A Mez Energia, que teve atuação de destaque no leilão de projetos de transmissão de eletricidade realizado pelo governo nesta quinta-feira, pretende ampliar os investimentos no setor e pode avaliar a entrada em geração renovável no longo prazo, disse uma executiva da companhia.

A empresa, que pertence a um grupo com os principais negócios no segmento de construção --fator que, segundo ela, permitiu lances mais agressivos-- surpreendeu ao arrematar cinco das onze concessões para novos empreendimentos licitadas pelo Ministério de Minas e Energia e pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Ela também ofereceu o maior deságio da disputa, de 70%.

Com o resultado, a Mez terá agora que construir linhas de energia que demandarão aportes estimados pelo órgão regulador em 2,4 bilhões de reais, o maior volume de recursos a ser dispendido entre os vitoriosos na concorrência.

"A Mez veio com uma estratégia realmente agressiva. A meta era levar 7 de 11 (projetos ofertados). A gente levou cinco, então acho que a meta foi alcançada", disse entre sorrisos a diretora jurídica do grupo Mez, Kelly Santos, durante coletiva de imprensa online após o leilão.

Ela garantiu que a companhia, apesar de ter sido criada em 2019, "tem saúde financeira e capacitação técnica" para levar adiante os empreendimentos.

De acordo com a executiva, o fato de a empresa ter uma construtora em seu grupo viabiliza menores custos, o que foi importante em meio à forte concorrência. Em dois dos lotes nos quais sagrou-se vencedora, os lances da Mez superaram mais de 10 ofertas de rivais.

"O plano de longo prazo é seguir no setor de transmissão, e ampliando as vertentes também para comercialização e geração de energias renováveis", acrescentou a diretora jurídica, ao ser questionada sobre as perspectivas para a companhia no segmento.

A Mez Energia tem como presidente-executivo o engenheiro civil Mauricio Ernesto Zarzur, que trabalhou antes na EZTEC Engenharia.

Segundo Kelly, a companhia avalia alternativas como financiamentos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e emissão de debêntures para captar recursos para os projetos.

A Mez já havia arrematado um empreendimento de transmissão em um leilão realizado no ano passado. Mas a diretora também disse, sem detalhar, que o grupo fez aquisições recentes no segmento.

"Através de M&As (fusões e aquisições, na sigla em inglês), já temos outros empreendimentos, em Goiás e agora no Rio Grande do Sul, já em fase de implantação, de mobilização."

As concessões adquiridas pela empresa nesta quinta-feira, com contratos de 30 anos, envolvem a construção e futura operação de linhas de energia no Mato Grosso do Sul, São Paulo e Rio Grande do Sul.

(Por Luciano Costa)