Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,73
    -0,24 (-0,33%)
     
  • OURO

    1.753,20
    +1,80 (+0,10%)
     
  • BTC-USD

    47.214,05
    -901,25 (-1,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,61%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,96 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.318,00
    -8,00 (-0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1958
    -0,0036 (-0,06%)
     

Após TikTok, Índia também bloqueia apps da ByteDance e Tencent

·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Índia planeja banir aplicativos da ByteDance e da Tencent, aumentando a lista de serviços chineses bloqueados em retaliação ao pior confronto militar entre os dois países em quase meio século.

O QQ da Tencent - a segunda maior plataforma de rede social da China - e o Vigo Video da ByteDance vão entrar na lista negra que incluiu o TikTok e o WeChat em junho, segundo documento do governo obtido pela Bloomberg News. A nova leva de proibições também inclui o navegador Mi, da Xiaomi, o Weibo, o Twitter chinês, e a principal ferramenta de pesquisa da Baidu bem como o aplicativo de embelezamento Meitu, elevando para 106 o total de serviços bloqueados, de acordo com o documento. O Bigo, da Joyy, e Likee também estão na lista.

A proibição ameaça aumentar as tensões entre duas das maiores economias da Ásia, que escalaram após o confronto na fronteira com o Himalaia que deixou 20 soldados indianos mortos. É mais uma tentativa da Índia de reduzir a dependência de produtos chineses e dificultar os esforços de expansão das maiores empresas da China.

O governo de Washington tem ameaçado proibir o TikTok da ByteDance como também outros aplicativos chineses os quais acusa de acumular dados de usuários e de espionagem, alegações negadas pelas empresas. O jornal Times of India divulgou a nova lista negra anteriormente.

Um porta-voz do Ministério de Eletrônica e Tecnologia da Informação não estava disponível imediatamente para comentários.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos