Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.363,10
    -56,43 (-0,05%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.714,60
    -491,99 (-0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,17
    -0,49 (-0,59%)
     
  • OURO

    1.798,30
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    58.534,14
    -1.900,51 (-3,14%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.406,02
    -68,31 (-4,63%)
     
  • S&P500

    4.551,68
    -23,11 (-0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.490,69
    -266,19 (-0,74%)
     
  • FTSE

    7.253,27
    -24,35 (-0,33%)
     
  • HANG SENG

    25.628,74
    -409,53 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    29.098,24
    -7,77 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.619,50
    +32,25 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4229
    -0,0018 (-0,03%)
     

Após tempestade de poeira, moradores de Franca lavam calçadas apesar do racionamento de água

·3 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 18.01.2016: Mulher lava calçada utilizando uma mangueira. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 18.01.2016: Mulher lava calçada utilizando uma mangueira. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

FRANCA, SP (FOLHAPRESS) - Os moradores de Franca (a 400 km de São Paulo) amanheceram nesta segunda-feira (27) empenhados na limpeza das casas e pontos de comércio após a tempestade de poeira que atingiu a cidade no fim da tarde de domingo (26).

Mesmo em pleno racionamento de água, implantado pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) desde o início do mês, os francanos lavaram garagens e calçadas, inclusive com mangueiras. Mas houve quem adotasse medidas mais econômicas.

A dona de casa Nalzira Pelizaro mora na Vila Imperador, que está sem água nesta segunda por conta do racionamento, recorreu à água estocada para lavar a garagem e a calçada. Ela tem o hábito de armazenar água da chuva e aproveitou que choveu no domingo após a nuvem de poeira passar pela cidade.

"Eu estou sem água hoje, mas não tinha condições de ficar na sujeira. No domingo, quando eu vi que o céu ficou muito vermelho, eu até fechei as janelas e portas, mas entrou muito pó, está tudo sujo. Como choveu depois, eu armazenei água e estou usando agora para limpar".

No Parque Residencial Santa Maria, a cabeleireira Silvana Garcia de Freitas, 55, também reaproveitou água para limpar a área externa de sua casa.

"Eu estava lavando roupas brancas e usei a mesma água para lavar o quintal. A casa está inteira suja, mas não tenho coragem de ligar a mangueira e sair jogando água, não é o momento. Aqui em casa é tudo piso e balcões de pedra ficaram tudo preto, de tanta sujeira. Usei um pano e balde para ir jogando água", disse ela, que começou a limpeza por volta das 8h e seguiu até depois do meio-dia.

A Sabesp classifica a crise hídrica enfrentada em Franca como grave e preocupante e recomenda à população não desperdiçar água, sob risco de tornar o racionamento ainda mais restritivo. Atualmente, o rodízio de água em vigor divide a cidade em três blocos de bairros, que ficam com 36 horas com água e 36 horas desabastecidos.

Segundo o gerente distrital da Sabesp de Franca, Alex Veronez, diariamente as equipes monitoram o consumo de água no município e, na manhã desta segunda-feira (27), estava anormal. "Estimamos que esteja 40% acima do que a cidade consome normalmente".

O gasto de água elevado, pouca chuva e a baixa vazão do Rio Canoas, principal manancial que abastece a cidade, potencializa os riscos ao sistema de abastecimento em Franca. Veronez explicou que para esta época do ano a vazão esperada no Canoas é de 1.300 litros por segundo, em média, mas na semana passada houve nova baixa e o volume reduziu para 620 litros por segundo.

"O cenário é preocupante. Enfrentamos a pior estiagem dos últimos 90 anos, com pouca chuva no período úmido e seca realmente severa. Esse fator e o calor intenso, evaporação maior e consumo alto vêm provocando desequilíbrio no sistema", afirmou o gerente da Sabesp de Franca, ao reiterar a recomendação para as pessoas reutilizarem água da máquina de lavar A prefeitura descarta a aplicação de multas aos munícipes que forem flagrados desperdiçando água. O prefeito de Franca, Alexandre Ferreira, divulgou recentemente um vídeo nas redes sociais em que afirma acreditar na postura consciente dos moradores.

"(...) Francano é consciente e participativo, e é com essa consciência que estamos vencendo os desafios da Covid. Esta mesma participação de todos é decisiva para reduzir os impactos da falta de chuva e abastecimento na nossa cidade. Não é hora de lavar a calçada, demorar no banho ou deixar a torneira aberta para lavar as louças. Neste momento, a cooperação espontânea de cada um é mais efetiva do que multa por desperdiçar água", afirmou no vídeo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos