Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.716,00
    -2.354,48 (-2,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.395,94
    -928,98 (-2,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,43
    -4,06 (-4,86%)
     
  • OURO

    1.651,70
    -29,40 (-1,75%)
     
  • BTC-USD

    18.910,49
    -106,42 (-0,56%)
     
  • CMC Crypto 200

    434,61
    -9,92 (-2,23%)
     
  • S&P500

    3.693,23
    -64,76 (-1,72%)
     
  • DOW JONES

    29.590,41
    -486,27 (-1,62%)
     
  • FTSE

    7.018,60
    -140,92 (-1,97%)
     
  • HANG SENG

    17.933,27
    -214,68 (-1,18%)
     
  • NIKKEI

    27.153,83
    -159,30 (-0,58%)
     
  • NASDAQ

    11.388,00
    -177,50 (-1,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0976
    +0,0649 (+1,29%)
     

Após soro de leite, "pó para preparo sabor café" vira polêmica nas redes sociais

É bem possível que você tenha visto a polêmica dos produtos que não são o que parecem ser (como o soro de leite, em vez de leite, e o composto lácteo, em vez de leite condensado) tomando conta das redes sociais. Nesta semana, a lista desses produtos ganhou mais um integrante: o pó para preparo de bebida sabor café.

O produto da marca Pingo Preto ganhou a atenção dos internautas depois de ser colocado à venda na Amazon. De acordo com o Grupo Jurerê, dono da marca, o item é regulamentado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), e teve seu rótulo enviado para verificação junto à Diretoria de Vigilância Sanitária antes do início da produção do produto final.

Dentre os ingredientes, constam café tradicional torrado e moído, polpa de café e aromatizante, e por conta de seu título, o produto foi apelidado de "cafake".

A empresa diz, em comunicado feito à Folha de S. Paulo, que o produto tem "seu rótulo claro quanto à denominação de produto e composição do mesmo, com informações no padrão exigido pela legislação nacional, com letras do mesmo tamanho, sem destaque para expressões isoladas, o que de nenhuma forma caracteriza confusão ao consumidor." Em resposta à situação, o Procon de São Paulo deve notificar o Grupo Jurerê para prestar esclarecimentos.

Anteriormente, os usuários do Twitter já tinham destacado questões como a embalagem da marca Moça, conhecida pelo leite condensado, com o rótulo apontando "mistura láctea condensada de leite, soro de leite e amido":

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: